Ideia Inteligência

Brasileiros não veem “luz no fim do túnel” em 2016, aponta pesquisa

De acordo com pesquisa realizada pelo Ideia Inteligência, 70% acham que economia vai piorar ano que vem, enquanto 68% avaliam que política piorará em 2016 - porém, brasileiros estão otimistas sobre a vida pessoal

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma pesquisa realizada pelo Ideia Inteligência contando com 20.006 entrevistas em 132 cidades mostra o pessimismo do brasileiro com relação à economia para 2016. A pesquisa foi realizada por telefone entre os dias 20 e 27 de dezembro de 2015 e possui margem de erro 1,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Quer saber onde investir em 2016? Veja no Guia InfoMoney clicando aqui!

70% dos entrevistados imaginam que a situação econômica do Brasil irá piorar, sendo 15% os que acreditam que será igual e apenas 10% apostando em alguma melhora no ano que se inicia.  Da mesma maneira, 68% prevê que situação política do país deve piorar, 17% acham que será igual e somente 8% acreditam que será melhor no ano que vem.

“A combinação de inflação e desemprego em alta aliados a um cenário politico instável tem deteriorado as expectativas sobre o futuro dos brasileiros. A maioria convive diariamente com a crise e o efeito é um pessimismo generalizado para 2016. A diferença dessas para outras crises econômicas se traduz na baixa expectativa de uma luz no fim do túnel.” afirma Mauricio Moura, Diretor Geral do Ideia Inteligência.

Aprenda a investir na bolsa

Também foi perguntado sobre a capacidade da presidente Dilma Rousseff de melhorar a vida dos brasileiros em 2016. E, neste caso, ocorreu uma convergência de opiniões ainda maior, já que 80% acreditam que ela não será capaz de garantir melhora de vida para a população, contra apenas 16% que confiam em sua habilidade de melhorar.

Por fim, quando indagados se sua vida pessoal será melhor, igual ou pior em 2016, os respondentes se mostraram bem mais otimistas: 65% esperam que sua vida melhore no ano que se inicia, 18% acham que será igual e 15% tem expectativa de piora na vida pessoal.

“Apesar de todos os indicadores sociais, econômicos e políticos desfavoráveis que explicam o pessimismo com o ano novo, os brasileiros conseguem manter acesa a esperança de melhora na vida pessoal. Essa é uma característica muito particular do nosso povo: a contínua fé e pensamento positivo alimentam esse otimismo que parece contraditório. As mesmas perguntas na Europa ou Estados Unidos teriam muita mais consistência. Nesse ponto, somos únicos. No fundo, os brasileiros acreditam que seu futuro individual sempre será melhor que o passado” avalia Moura.