Ministro do STF e do TSE

“Brasil está se tornando uma grande organização Tabajara”, diz Gilmar Mendes ao criticar falta de líderes

 Gilmar Mendes falou sobre o TSE, afirmando que "o Tribunal não é joguete nas mãos do governo", em resposta a rumores sobre processo de cassação de chapa Dilma-Temer

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Gilmar Mendes, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) criticou na manhã desta segunda-feira a falta de lideranças no País e disse que costuma brincar que “o Brasil está se tornando uma grande organização Tabajara”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Ele ainda afirmou que  “coloca as mãos na cabeça” quando ouve ideias vindas de São Paulo, estado que liderou a Revolução Constitucionalista de 1932, sugerindo mudanças da Constituição. Ele apontou que a Constituição de 1988 “nos trouxe até aqui dentro da normalidade constitucional”. “Tivemos dois impeachment no Brasil e estamos enfrentando agora uma grave crise política sem convulsão social. Temos que manter isso”, afirmou. Ele participa hoje do 2º Congresso Jurídico sobre judicialização da Saúde.

Já para a Folha de S. Paulo, Gilmar Mendes falou sobre o TSE, afirmando que “o Tribunal não é joguete nas mãos do governo”, em resposta aos rumores de que ministros da corte poderiam pedir vista do processo que pode levar à cassação do presidente Michel Temer para dar sobrevida a ele. Ele afirmou acreditar que as informações são repassadas aos jornalistas por integrantes da equipe do presidente. 

Aprenda a investir na bolsa

“Fontes do Palácio do Planalto ficam palpitando, dizendo à imprensa como os ministros do TSE vão votar, se vai ter pedido de vista, se não vai ter. (…) Isso me irrita profundamente. Eles não sabem absolutamente nada do que ocorre no tribunal. Não cuidam nem sequer de seu ofício. Se fizessem isso, não estariam metidos nessa imensa crise”, destacou ao jornal. Ele citou novamente as “organizações Tabajara”: “as fontes do Planalto são outro ramo das Organizações Tabajara, que é no que se transformou o Brasil”.