Artigo para o Valor

Bolsonaro: Reforma da Previdência é o “centro da gravidade” do governo e não haverá retomada sem ela

"É nítido o grau de deterioração das contas públicas. Se a reforma não for aprovada agora, haverá uma completa exaustão da capacidade financeira, o que impedirá o governo de resolver as questões vitais da sociedade", destacou o presidente em artigo ao Valor

SÃO PAULO – Em artigo para o jornal Valor Econômico, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a Reforma da Previdência é o “centro de gravidade” do governo, acrescentando que pretende colocar todo esforço para que seja “concluída e aprovada o quanto antes” e que não há opções para a retomada sem ela. 

“Nenhum setor consome tantos recursos de nosso orçamento fiscal quanto a previdência. É nítido o grau de deterioração das contas públicas. Se a reforma não for aprovada agora, haverá uma completa exaustão da capacidade financeira, o que impedirá o governo de resolver as questões vitais da sociedade”, afirmou o presidente no artigo. 

Bolsonaro destacou ainda que “o atual sistema de previdência é o ator principal desta telenovela chamada desequilíbrio fiscal, que custa ao país R$ 800 bilhões ao ano”. O presidente destacou que, se mantidas as regras atuais, estarão em risco “não apenas as nossas aposentadorias, mas também a dos nossos filhos e netos. Sem a reforma, a saúde econômica se encaminhará rapidamente para a UTI da crise social, já vivida recentemente por muitos países”. 

PUBLICIDADE

Bolsonaro ainda afirmou que o governo acena com maneira diferente de negociar, com sentimento patriótico e a busca de consenso sendo fundamentais.

“Eu acredito firmemente que durante o período de tramitação do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, essa base estará formatada e dará segurança para aprová-lo”, apontou. 

De acordo com ele, é legítimo que o Congresso queira aperfeiçoar o projeto entregue pelo governo e que é normal e constitucional utilizar o orçamento como inflexão de políticas públicas em prol da população brasileira.

Além da Previdência, o presidente ressaltou que as reformas tributária e trabalhista são desafios para garantir o crescimento da economia, o bem-estar e
a paz social.

Na reforma tributária, apontou, o governo tem objetivo claro: desburocratizar e simplificar a legislação, com propostas para modernizar o sistema e facilitar o ambiente de negócios. Já  na reforma trabalhista, governo quer regime que favoreça
trabalhador e empregador. 

Voltando sobre o assunto Previdência, o presidente ressalta que, com a reforma, com as alíquotas progressivas, quem ganha menos pagará menos ainda, e quem ganha mais contribuirá com um pouco mais. “Hoje os trabalhadores de menor renda, a maioria esmagadora, são obrigados a custear, com suas contribuições previdenciárias, as aposentadorias de uma minoria privilegiada”, avalia. 

PUBLICIDADE

“É tempo de termos responsabilidade social com o futuro do país. Estamos todos no mesmo barco. O mar está bravio, a água se faz ao convés e a única solução é arregaçar as mangas e trabalharmos juntos para que encontremos logo bons ventos e um porto seguro”, afirmou no texto. 

Invista melhor seu dinheiro: abra uma conta GRATUITA na XP.