Recuo pelo Twitter

Bolsonaro recua e defende pelo Twitter que teto de gastos seja preservado: “ceder é abrir rachadura”

Ontem, o presidente defendeu mudanças na regra do teto de gastos, que proíbe que as despesas cresçam em ritmo superior à inflação

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em postagem pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro defendeu que o teto de gastos seja preservado, recuando um dia após ter mostrado apoio à flexibilização da medida. 

“Temos que preservar a Emenda do Teto. Devemos, sim, reduzir despesas, combater fraudes e desperdícios. Ceder ao teto é abrir uma rachadura no casco do transatlântico”, disse Bolsonaro em publicação na rede social no início da manhã.

Ontem, o presidente havia defendido mudanças na regra do teto de gastos, que proíbe que as despesas cresçam em ritmo superior à inflação. A informação tinha sido dado na quarta-feira pelo porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

PUBLICIDADE

“Se mudança no teto não for feita, tendência é governo ficar sem verba para manter máquina”, disse ontem o porta-voz. Segundo ele, o governo não irá exigir mais impostos da sociedade. 

A mudança na regra é defendida pela Casa Civil e pelo comando das Forças Armadas, segundo apurado pelo Estadão. Bolsonaro votou como deputado a favor da instituição do teto de gastos. Segundo o porta-voz, “as pessoas evoluem na medida em que percebem modificações de conjuntura”.

A preocupação com o aperto fiscal no grupo político e militar ao redor do presidente cresceu porque, mesmo que o governo consiga ampliar a arrecadação e reduzir o rombo das contas públicas nos próximos anos, o teto de gastos apertado e o avanço das despesas obrigatórias (como o pagamento de salários e aposentadorias) reduzirão o espaço para investimentos em obras e programas do governo, dificultando a estratégia do presidente de deixar a sua marca.

Confira a postagem de Bolsonaro nesta manhã:

(Com Agência Estado)

Quer saber o que esperar da política nos próximos meses? Insira seu e-mail abaixo e receba, com exclusividade, o Barômetro do Poder – um resumo das projeções dos principais analistas políticos do país: