Política

Bolsonaro exclui Mourão de reunião com ministros

"Não fui convidado, não fui chamado, então acredito que o presidente julgou que era desnecessária a minha presença", disse o vice

( Pequim – China, 21/05/2019) Vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, durante entrevista ao canal CGTN, Espanhol. Foto: Adnilton Farias / VPR

BRASÍLIA – O vice-presidente Hamilton Mourão confirmou nesta terça-feira que não foi convidado para a reunião ministerial desta manhã, em mais um capítulo da crise latente entre o presidente Jair Bolsonaro e seu vice.

“Não fui convidado, não fui chamado, então acredito que o presidente julgou que era desnecessária a minha presença”, disse Mourão ao ser questionado sobre sua ausência no encontro.

Bolsonaro reuniu 22 dos seus 23 ministros –apenas Fábio Faria, das Comunicações, que está no Japão, não participou– para uma reunião na manhã desta terça. O encontro não foi incluído na agenda oficial da Presidência e, de acordo com uma fonte, Bolsonaro chamou os ministros um a um com a instrução de que o encontro não fosse colocado nas agendas ministeriais, o que quase todos fizeram.

No Palácio do Planalto, a reunião só foi confirmada, com a lista de participantes, próximo das 9h e com a informação de que era apenas uma “reunião com ministros”. O Planalto não usou o nome “Conselho de Ministros”, como normalmente a reunião é chamada, justamente porque o Conselho prevê a participação do vice-presidente. A última reunião do Conselho aconteceu em 19 de novembro.

O relacionamento entre o presidente e seu vice vem se deteriorando aos poucos desde o início do governo, mas piorou bastante nos últimos meses. Bolsonaro reclama que Mourão dá declarações com pontos de vista opostos aos seus e desconfia da lealdade do vice.

Um episódio recente, em que o site Antagonista vazou mensagens de um então assessor parlamentar de Mourão indicando ao chefe de gabinete de um deputado federal que gostaria de conversar sobre a possibilidade de um impeachment, azedou de vez a relação. Mourão negou que o assessor tivesse sua autorização e acabou demitindo-o, mas o episódio serviu para aumentar a desconfiança do presidente.

Na segunda-feira, o vice-presidente participou de um evento no Palácio do Planalto junto com Bolsonaro, mas a última audiência entre ambos foi em 16 de dezembro, um encontro para tratar das ações da GLO na Amazônia.

Na mesma segunda, ao ser perguntado pelo jornalista José Datena sobre a relação com o vice, respondeu: “Está tudo bem. Hoje (segunda) teve um evento aqui embaixo, trocamos sorrisos. E tá tudo bem, tá tudo bem com Mourão aí. Afinal de contas vice é igual sogra, para a vida toda.”

Questionado, o Palácio do Planalto informou que o encontro era uma reunião de ministros e por isso a presença do vice-presidente não era necessária.

PUBLICIDADE