Análise

Bolsonaro e Haddad devem fazer corrida alucinada em direção ao centro no segundo turno

Dada a delimitação clara dos campos de apoiadores de cada nome, haveria maior liberdade para discursos mais ousados na busca por capturar eleitores de outros candidatos

SÃO PAULO – A confirmação do quadro de segundo turno polarizado entre o deputado Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) indica o início de uma intensa disputa entre os candidatos pelos eleitores localizados mais ao centro do espectro ideológico.

Dada a delimitação clara dos campos de apoiadores de cada nome, haveria maior liberdade para discursos mais ousados na busca por capturar eleitores que apoiaram outros candidatos nesta primeira ida às urnas. É o que avalia o analista político Rafael Cortez, da Tendências Consultoria.

Para ele, pelo patamar de onde deve largar na corrida, Bolsonaro é franco favorito. Por outro lado, é possível que Haddad inicialmente conte com maior transferência de votos remanescentes de adversários no primeiro turno, já que há uma leitura que houve antecipação no eleitorado que apoiou o militar reformado.

PUBLICIDADE

“O eleitor de Haddad no primeiro turno não vai mudar para Bolsonaro se eventualmente o petista fizer algum sinal como para a aprovação da reforma previdenciária. Esse eleitor dificilmente vai se desiludir a ponto de ir para branco/nulo ou votar em Bolsonaro. Porque ele rejeita tanto o outro lado que tem um custo grande para fazer [a mudança]. O mesmo vale para Bolsonaro, se eventualmente adotar alguma política que não está associada à sua imagem. Em tese, eles teriam condição de fazer esse movimento”, afirmou.

O especialista participou da programação da InfoMoneyTV para as Eleições na tarde deste domingo (7). Assista a entrevista na íntegra pelo vídeo abaixo:

A hora de investir em ações é agora: abra uma conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!