Reação ao Datafolha

Bolsonaro classifica Datafolha como “vexame”, enquanto PT comemora liderança de Lula

"Datafolha continua pagando vexame. E, com toda certeza, recebendo algo de muito bom de seus patrocinadores", apontou o deputado carioca

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A pesquisa Datafolha, divulgada no último domingo (10), não agradou Jair Bolsonaro (PSL), que classificou como “vexame” ao apontar um resultado bem diferente dos levantamentos recentes de intenção de voto, enquanto o PT comemorou mais uma liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas simulações.

Preso há dois meses e grande chance de não participar do pleito deste ano por ser considerado um “Ficha Suja”, o petista aparece com 30% das intenções de votos no primeiro turno, sendo que ganha de todos seus concorrentes em um eventual segundo turno. “O Brasil já sabe que vai ser feliz de novo. Lula, além de ser líder isolado, vence em todos os cenários”, comemorou o partido através de sua conta oficial do Twitter.

Se o PT festejou o resultado, não podemos dizer o mesmo do pré-candidato do PSL. Em vídeo publicado em suas redes sociais, o deputado carioca afirmou que o Datafolha passou vexame com sua nova pesquisa eleitoral, questionando principalmente os números das intenções de votos no segundo turno: “Datafolha continua pagando vexame. E, com toda certeza, recebendo algo de muito bom de seus patrocinadores”, acusou Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Nas simulações para o segundo turno do Datafolha nos cenário sem Lula, Bolsonaro aparece empatado tecnicamente com Ciro (34% contra 34%) e Geraldo Alckmin (33% cada), ao passo que perderia de Marina Silva (32% contra 42%). Conforme o levantamento, o deputado venceria somente Haddad (36% a 27%), cenário bem diferente do apresentado, por exemplo, na sondagem divulgada pelo DataPorder360 na última terça-feira (5), com ele vencendo nos quatro cenários considerados (contra Ciro Gomes, Marina Silva, Fernando Haddad e Geraldo Alckmin) em um eventual segundo turno.

“O DataPoder, há poucos dias, me dá lá na frente. E no 2º turno, ganho de todos os demais pré-candidatos com uma larga margem de diferença. Vem hoje o Datafolha, que todos nós conhecemos, falando exatamente o contrário”, questionou o deputado carioca. Em resposta, o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, disse que as duas pesquisas são incomparáveis, pois são metodologias de apuração diferentes.

Assista ao vídeo divulgado por Bolsonaro criticando a pesquisa

Marina Silva com foco nos indecisos e “boas notícias” para Alckmin

Também repercutindo o resultado, a pré-candidata do Rede, Marina Silva, que aprece em terceiro lugar nas intenções de voto, afirmou que o levantamento do Datafolha foi um retrato de um momento e que ainda há muito trabalho para ser feito. Segundo ela, a missão agora será dialogar com os 30% dos eleitores que não possuem um candidato, fazendo referente ao percentual recorde de votos brancos e nulos apontados no cenário sem Lula.

Ainda estagnado nas intenções de votos no primeiro turno, essa última pesquisa “traz boas notícias” para Geraldo Alckmin, conforme avaliação de Luis Felipe D´Ávila, coordenador do plano de governo do PSDB. Segundo ele, o saldo foi positivo já que o tucano desponta como líder entre os ‘candidatados de centro’, como uma boa margem de crescimento em eventual disputa de segundo turno e redução no índice de rejeição.