2º turno

Bolsonaro busca nomes do setor privado para compor equipe econômica e estatais

Os convites formais eventualmente serão feitos após a conclusão do segundo turno

Paulo Guedes e Jair Bolsonaro
(Divulgação)

SÃO PAULO – Jair Bolsonaro (PSL) e sua equipe já começaram a busca por apoio do setor privado para encontrar nomes que topem fazer parte de seu eventual governo.

Pessoas como Alexandre Bettamio, presidente-executivo para a América Latina do Bank of America, João Cox, presidente do conselho de administração da TIM (TIMP3), e Sergio Eraldo de Salles Pinto, da Bozano Investimentos (gestora de investimentos presidida por Guedes), estão na lista.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

PUBLICIDADE

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, foram essas pessoas que aconselharam o guru econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, nos últimos meses, e por isso sua participação no governo passou a ser discutida.

A campanha de Bolsonaro acredita que Bettamio poderia assumir a presidência do Banco do Brasil, dada sua experiência no setor bancário. Os demais poderiam ocupar postos-chave, mas isso ainda não está definido e os convites formais eventualmente serão feitos após a conclusão do segundo turno.

Há outros “paraquedistas” do setor financeiro, como estão sendo chamados esses executivos nos bastidores: Maria Silvia Bastos Marques, presidente-executivo da Goldman Sachs no Brasil e ex-presidente do BNDES, e Roberto Campos Neto, diretor do Santander e neto do renomado economista liberal. Campos Neto poderia eventualmente assumir o Banco Central, caso a primeira opção, Ilan Goldfajn, não queira permanecer no cargo.

Contudo, aponta a reportagem, convites formais só devem ocorrer após a eleição e o time ainda incluiria Fábio Abraão (Infra Partners), Roberto Castello Branco (ex-Vale), Salim Mattar (Localiza) e Eduardo Mufarej (Tarpon e do RenovaBr).