Bolívia diz que pretende levar questão do gás à arbitragem internacional

Ministro dos Hidrocarbonetos declarou nesta terça-feira que Brasil tem 60 dias para entrar em acordo com governo boliviano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo da Bolívia anunciou nesta terça-feira (15), que recorrerá a uma arbitragem internacional caso não chegue a um acordo com o Brasil a respeito do polêmico reajuste no contrato de preço do gás natural.

A declaração foi feita pelo ministro de Hidrocarbonetos boliviano, Andrés Soliz Rada, o qual também afirmou haver urgência na definição de uma nova fórmula de ajuste de preço da commodity.

Ainda segundo Rada, o governo não quer outro adiamento de 60 dias, a exemplo do que ocorreu na última semana pelo fato do Brasil não haver aceitado a elevação proposta pela Bolívia.

Aprenda a investir na bolsa

O próximo encontro entre as estatais dos dois países ocorre no dia 14 de setembro.

“Se não houver acordo dentro de 60 dias, haverá uma arbitragem. Essa é a decisão do governo boliviano”, enfatizou o ministro.

Preço

A intenção boliviana é aumentar para, pelo menos, US$ 7 o preço do milhão de BTU (unidades térmicas britânicas). Atualmente, o valor pago pela Petrobras é de US$ 4 pelo BTU.

O contrato de venda de gás firmado entre os dois países é válido até 2019.