BoJ mantém taxa básica de juro em 0,1%, em meio a preocupações com deflação

Primeiro-ministro pede atenção à queda nos preços; declaração é vista como sinal de divergência entre governo e BC japonês

SÃO PAULO – O BoJ (Bank of Japan) decidiu nesta sexta-feira (20) manter a taxa básica de juro próxima de zero e reiterou suas estimativas positivas para a economia, mesmo com a ameaça de maior deflação.

O colegiado manteve a taxa em 0,1% ao ano e aparentemente não surpreendeu o mercado. O comunicado foi divulgado algumas horas depois que o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, demonstrou preocupação com a queda dos preços, temendo que isso atrapalhe a recuperação do país.

A possível discordância entre o governo e o Banco Central foi interpretada por alguns analistas como um sinal de tensão: ao destacar preocupação com a deflação, Kan está sinalizando implicitamente que o BC deveria repensar os rumos da política monetária.

Pressão implícita

PUBLICIDADE

Na visão de muitos especialistas, como o BoJ é independente, o governo não pode pedir para ele reduzir a taxa de juro ou aumentar a compra de títulos públicos. “Ao reforçarem a preocupação com a deflação, há o pedido de que o BC mude a política monetária”, explicou o economista-chefe da Shinkin Asset Management, Hiroshi Miyazaki.

O líder do BoJ, Masaaki Shirakawa, escreveu em nota que acredita que os preços continuarão caindo, uma vez que a demanda interna ainda está fraca. “Simplesmente prover mais liquidez não ajudaria a corrigir esse movimento”, comentou a autoridade, anunciando que o governo está estudando outras medidas para estimular a economia.

Quando questionado sobre o que o BoJ poderia fazer para ajudar na recuperação, Shirakawa disse apenas que o banco prolongaria o período de taxa de juro reduzida, evitando fazer qualquer acréscimo nas próximas reuniões.