Indenização

Banco de Maluf pagará US$ 20 mi para escapar da justiça; MP diz que movimentou US$ 200 mi

O acordo determina que US$ 18 milhões sejam destinados à prefeitura, US$ 1,5 milhão aos cofres públicos do Estado de São Paulo e US$ 300 mil ao Fundo de Interesses difusos

SÃO PAULO – Deutsche Bank, Ministério Público e Prefeitura de São Paulo fecharam, nesta segunda-feira (24), um acordo de indenização aos cofres públicos de US$ 20 milhões, após a instituição alemã ser usada pelo ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) como pivô de fraudes de desvio de recursos. O pagamento do montante acordado, esperado para ser efetuado em até 60 dias, faz com que o Deutsche evite ser alvo de ação judicial envolvendo o político.

Conforme informou o portal online do jornal Folha de S. Paulo, o fato de a família Maluf ter movimentado mais de US$ 200 milhões em contas do banco banco poderia configurar o comportamento da instituição europeia como negligente às práticas de corrupção em obras da prefeitura. O dinheiro foi desviado durante as obras da avenida Jornalista Roberto Marinho (antiga avenida Águas Espraiadas), com o uso de Deutsche e Safra para o envio da verba a contas localizadas em Jersey, ilha conhecida como “paraíso fiscal”.

O acordo determina que US$ 18 milhões sejam destinados à prefeitura, US$ 1,5 milhão aos cofres públicos do Estado de São Paulo e US$ 300 mil ao Fundo de Interesses difusos. Ainda de acordo com a reportagem, o montante que cabe à prefeitura será usado em parques, creches ou outros equipamentos públicos. A assessoria de imprensa de Maluf nega as acusações – dizendo que nunca teve conta em paraísos fiscais. 

PUBLICIDADE