Avaliação com usuários da InfoMoney põe em xeque popularidade do governo Lula

Levantamento mostra forte tom de desaprovação ao Poder Executivo brasileiro, que recebeu nota bem abaixo da média

SÃO PAULO – A popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a surpreender. Mas, desta vez, sob uma conotação negativa. A imunidade da aprovação a Lula mesmo diante de casos de corrupção envolvendo integrantes do governo não se repetiu em levantamento feito recentemente pela InfoMoney.

Pesquisa para avaliar o Poder Executivo do Brasil resultou em uma nota média de 2 pontos, em uma escala de 0 a 10. Aproximadamente metade dos consultados escolheram a nota mínima para qualificar o presidente.

Uma das principais críticas contra Lula é não aproveitar a maioria no Congresso e a relativa aprovação popular para avançar em reformas estruturais. A recente crise no setor de aviação, por exemplo, acalorou a discussão.

PUBLICIDADE

Junto à expectativa de expansão da economia entre 4% e 5%, é cada vez mais patente a necessidade de avanços em energia e infra-estrutura para o tão esperado crescimento sustentável.

Desconfiança

Um certo estigma de descrença no Poder Executivo também pode explicar a baixa empatia dos investidores em relação ao presidente. Em geral, a relação da Bolsa com o petista é permeada por certa desconfiança, se analisados os históricos de desempenho de indicadores de risco e do principal índice de ações da Bovespa.

Em 2002, quando o Brasil vivia a expectativa de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva adotaria uma política econômica heterodoxa, o risco-país chegou a bater 2.436 pontos-base em setembro, poucos dias antes do primeiro turno. Atualmente, o indicador está próximo dos 200 pontos.

Após as perdas de 2002, o mercado acionário brasileiro acumula quatro anos consecutivos de valorização. A adoção de uma política monetária responsável somada a um cenário externo bastante positivo permitiu estabilidade macroeconômica. O que ajudou a deixar o País perto do “grau de investimento”.

Imunidade

De forma recorrente, outras pesquisas de opinião revelaram uma espécie de proteção do petista frente à denúncias de corrupção contra aliados políticos. Pivô de uma crise generalizada no governo em 2005, o esquema do “mensalão” jogou o até então chamado partido da ética no meio de evidências de desvios de verba pública. Mas nem isso abalou a imagem do ex-líder sindical.

Veja os resultados da avaliação

Que nota você daria para o Poder Executivo brasileiro?VotosPercentual
0109949,89%
11386,26%
225511,58%
31567,08%
41757,94%
51436,49%
6663,00%
7542,45%
8452,04%
9120,54%
10602,72%
Total2.203100%