Autonomia na viagem: internet é usada para comparação de preços!

"Pesquisa mostra que 72% das pessoas pesquisam viagens e comparam preços pela internet", diz especialista

SÃO PAULO – O brasileiro ganhou mais autonomia no planejamento de suas viagens e, em 2008, aderiu completamente à internet residencial para realizar compras de passagens aéreas, verificar mapas do destino e fechar diárias de hotéis.

De acordo com o analista do Ibope//NetRatings, José Calazans, a modalidade turismo vem se destacando há cerca de três anos como uma das mais acessadas pela internet residencial, junto com o segmento de carros. Em dois anos, a audiência subiu 99,7%.

O gerente de Marketing do Clickhoteis – site de reservas de hotéis on-line -, Daniel Moura, afirmou que a internet é um canal cada vez mais importante para o segmento de viagens e turismo, pois cresceu a confiança do consumidor on-line.

PUBLICIDADE

“Uma pesquisa no Google mostra que 72% das pessoas pesquisam viagens e comparam preços pela internet, e a compra não é por impulso”, contou Moura, que ainda destacou que, em média, 90% das pessoas que pesquisam passagens aéreas e 85% das que buscam hotéis efetivam suas compras. Muitos aprenderam a consultar a opinião de usuários que já viajaram.

Acessos

Os sites de mapas e de viagens foram destaques em crescimento em dois anos, uma vez que mais que triplicaram (+205,1%) sua audiência. Na tabela abaixo, é possível identificar a evolução nas categorias, bem como na Modalidade Viagens/Turismo como um todo:

CategoriaVariação/mêsVariação/2 anos
Mapas7,2%205,1%
Multicategorias-2,6%57,8%
Companhias aéreas1,8%57,8%
Categoria geral4,1%99,7%

Fonte: Ibope//NetRatings

No caso dos sites de hospedagem, de acordo com Moura, a Clickhoteis mais que dobrou em 2008, na comparação com o ano passado. As compras on-line facilitam a vida dos turistas, pois a navegação pode ser feita 24 horas, sem depender de horário comercial.

De acordo com Moura, num futuro próximo, os mesmos produtos serão disponibilizados para outros mercados e públicos, que vão utilizar dispositivos móveis e a TV digital interativa.