AO VIVO Radar InfoMoney: Bancos disparam na Bolsa com dados de crédito e HSBC saltando no exterior; assista ao programa desta segunda

Radar InfoMoney: Bancos disparam na Bolsa com dados de crédito e HSBC saltando no exterior; assista ao programa desta segunda

Aumento na arrecadação de janeiro é considerado atípico por secretário da RF

Para Jorge Rachid o crescimento de R$ 10 bilhões sobre o mesmo mês de 2007 não é uma tendência

SÃO PAULO – O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, afirmou que o crescimento de R$ 10 bilhões na arrecadação de impostos no mês de janeiro, em relação ao mesmo período do ano anterior, foi atípico.

Segundo a Agência Brasil, Rachid considera que os números divulgados na última terça-feira (26) não representam uma tendência.

“Nós consideramos atípico o resultado da arrecadação do mês de janeiro. Ele fugiu da normalidade. O imposto de Renda das Empresas e a Contribuição Sobre Lucro Líquido tiveram um crescimento real na ordem de 56%. Se nós pegarmos uma série histórica, vamos verificar que esse crescimento estava em torno de 22%”, afirmou.

IOF e Imposto de Importação

PUBLICIDADE

As maiores arrecadações do primeiro mês do ano com IOF (Impostos sobre Operações Financeiras) e Imposto de Importação também foram consideradas acima da média pelo secretário.

Rachid também destacou a inclusão de valores residuais da CPMF (Contribuição sobre Movimentação Financeira). “Em janeiro nós tivemos um resíduo na ordem de R$ 870 milhões de CPMF eu foi recolhida anteriormente”, disse.

O secretário também afirmou que o ritmo de crescimento econômico do país contribuiu para a elevação dos valores arrecadados, além do aumento das vendas de veículos e a abertura de capital de empresas.

Porém, a curva de aumento da arrecadação pode não continuar em ascensão. “Esses tributos que foram apresentados fugiram da normalidade. O próprio imposto de importação é um exemplo. Nós tivemos um aumento no volume de importações na ordem de 45%. É algo que não sabemos se vai se repetir”, concluiu Rachid.