Aumento dos salários de deputados será colocado em votação, afirma Chinaglia

Presidente da Câmara diz que reajuste é a próxima pauta; fim do nepotismo e reforma política também serão debatidos

SÃO PAULO – O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou nesta segunda-feira (09) que vai colocar em discussão no plenário o aumento dos salários dos parlamentares. O assunto vem se estendendo desde fevereiro último. Além disso, o fim do nepotismo e a reforma política também devem ser analisados pela Casa, segundo Chinaglia.

O deputado petista disse que os três temas já estavam pautados, mas que, em função de disputas políticas, eles tiveram a discussão adiada. A tendência é a de que os salários passem de R$ 12.840,20 para R$ 16,5 mil. O reajuste corresponde à inflação acumulada nos últimos quatro anos.

Nepotismo e reforma política

A proposta que acaba com o nepotismo nos três poderes é de autoria do ex-deputado Aldo Arantes (PC do B-GO). A medida impede a contratação de parentes no Executivo, Legislativo, Judiciário, no Ministério Público, nos Tribunais de Contas, nos estados e nos municípios.

PUBLICIDADE

A emenda original de Arantes proíbe a contratação de parentes até mesmo para serviços temporários. Também estabelece uma espécie de quarentena pela qual os parentes de autoridades só poderiam ingressar no serviço público três anos depois que o familiar deixasse o cargo.

Com relação à reforma política, os deputados devem priorizar a votação da fidelidade partidária, do voto em lista e do financiamento público de campanha. Os três pontos têm consenso na Câmara dos Deputados.