Apartidário?

Áudios mostram que MBL teria recebido recursos de partidos em atos pró-impeachment, diz UOL

Uma gravação obtida pelo UOL mostra um dos coordenadores nacionais do movimento dizendo a um colega que tinha fechado apoio de partidos políticos para divulgar atos de 13 de março

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Uma das principais entidades civis que mobilizaram parte da população brasileira pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, o Movimento Brasil Livre teria contado com recursos de partidos políticos como DEM, PSDB, PMDB e Solidariedade para imprimir panfletos de divulgação dos atos e uso de carros de som. As informações foram divulgadas pelo UOL e podem ir de encontro com as autodenominações de que a entidade seria apartidária, sem ligações financeiras com siglas.

Uma gravação obtida pelo UOL mostra um dos coordenadores nacionais do movimento, Renan Ferreira dos Santos, dizendo a um colega que tinha fechado apoio de partidos políticos para divulgar, “usando as máquinas deles também”, os protestos de 13 de março. “Foi o MBL que montou isso. A gente tá costurando agora com todos eles para te o impeachment. Então, a gente está em outra, a gente realmente está causando problemas pra Dilma”.

A matéria ainda informa que Renan Santos confirmou a autenticidade do áudio e informou que o comitê do impeachment contava com lideranças de vários partidos. “As manifestações não são do MBL. 13 de Março pertence a todos os brasileiros, e nada mais natural que os partidos de oposição fossem convidados a usar suas redes de divulgação e militância para divulgar a data. Não houve nenhuma ajuda direcionada ao MBL. Pedimos apenas que divulgassem com toda energia possível. Creio que todos o fizeram”, dizia a nota.

Aprenda a investir na bolsa