Imprensa internacional

As 6 palavras que dizem tudo o que você precisa saber sobre Brasil, segundo o Washington Post

O "glossário" do jornal contém os termos coxinha, petralha, jeitinho, crise, gourmetização e zoeira

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Olimpíada do Rio de Janeiro está chegando e, com isso, diversos estrangeiros estão chegando ao Brasil para acompanhar as competições. Porém, conforme destaca o Washington Post em matéria desta quarta-feira (3), quem chega aqui precisa saber mais do que apenas as palavras “obrigado” ou “saudade”. “Nestes últimos dias, a cultura brasileira está muito mais complicada”, afirma o jornal americano. 

Pensando nisso, e com uma dose de ironia, o jornal listou as seis palavras que resumem o Brasil, que passam desde “crise” ao novo embate entre “coxinhas” e “petralhas”. Confira abaixo as seis palavras que definem o Brasil, segundo o Washington Post:

1. Crise 
“Esta é fácil o suficiente para se traduzir para o inglês, mas no Brasil, frequentemente se refere à atual crise econômica do país”, afirma. O jornal destaca que, após vários anos de boom, a economia enfrenta uma das maiores recessões de sua história e os sinais da crise econômica estão por toda parte. “A palavra crise tornou a explicação abreviada dos brasileiros sobre por que algo está errado em relação ao ano passado”, afirma o jornal.

PUBLICIDADE

2. Gourmetização
O jornal destaca que gourmetização é o ato de transformar tudo, especialmente produtos alimentares, em algo mais sofisticado (gourmet) e, consequentemente, mais caro.  Esta tendência surgiu no Brasil ao longo dos últimos três anos, em paralelo com os “food trucks”, diz a publicação. O Washington Post destaca que a ironia é que esta tendência aconteceu em 
conjunto com a crise, o que indica um sinal sobre a resiliência da cultura de consumo no Brasil. 

3. Petralha
O Washington Post explica que petralha é uma gíria depreciativa usada pelos brasileiros favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff para se referir a apoiadores do PT e de Lula (os “petralhas” pensam que o impedimento de Dilma é um golpe.) “Estereótipos negativos de um petralha incluem um preguiçoso beneficiário de programas do governo, um sindicalista em greve ou um estudante barbado e fumador de maconha em um curso universitário de sociologia”, ressalta o jornal.

 4. Coxinha
“Coxinha tem um significado além do mais famoso lanche de rua do Brasil”, diz o jornal. Significa o oposto do petralha, ou seja, como os apoiadores de Dilma chamam alguém que defende o impeachment e apoia políticos de centro-direita, como Michel Temer. “Estereótipos negativos de um coxinha são playboys ricos, vestindo camisa polo com a gola levantada, usando óculos ray-ban comprados em Miami e relógio que ganharam do pai no natal”, diz o jornal, com tom irônico. 

 5. Jeitinho
O jeitinho é a capacidade para esquivar-se de situações difíceis, diz o jornal. “Para muitos, esta é uma parte da sobrevivência diária no Brasil”, destaca, ressaltando que há um pouco de conotação negativa ao jeitinho, uma vez que muitas vezes é usado como sinônimo de corrupção. A publicação destaca a fala de alguns especialistas de que a normalização do jeitinho está no centro da crise econômica e política do Brasil.

6. Zoeira
O Washigton Post define “zoeira” como quando alguém está brincando com você. “Em linguagem moderna, refere-se ao ato de brincar, mesmo quando as coisas estão ruins. Isso surge principalmente quando, em meio a notícias ruins, os brasileiros fazem rapidamente um milhão de memes sobre o assunto”. E reforça: “há um ditado no Brasil: ‘a zoeira nunca termina’, isto é, os brasileiros nunca desistem de brincar. Na essência, a palavra zoeira refere-se à capacidade brasileira de se sair bem de uma situação ruim”.