Discurso hoje

Às 13h, um “emocionado” Lula elevará tom contra promotores; parte da Lava Jato e do PSDB temem vitimização

Lula pretende colocar a denúncia apresentada na última quarta-feira contra ele no mesmo pacote de impeachment da presidente Dilma Rousseff; atos de apoio estão programados

SÃO PAULO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi acusado de comandante máximo do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato e, com isso, promete contra-atacar e adotará um tom emocional em sua defesa. O petista fará pronunciamento aberto à imprensa às 13h (horário de Brasília) e elevará o tom contra os promotores, reforçando o discurso de que as acusações contra ele têm como objetivo afastá-lo das eleições presidenciais de 2018, apontam os jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo.

Segundo O Globo, Lula pretende colocar a denúncia apresentada na última quarta-feira contra ele no mesmo pacote de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os dois fatos fariam, na versão do Lula, parte de uma reação das elites contra as conquistas da população mais pobre promovidas pelos governos do PT.

Além disso, o PT estava convocando militantes da legenda, na noite de quarta-feira, para comparecer na frente do hotel onde estará hospedado nesta quinta, no Centro de São Paulo, com o objetivo de transmitir apoio ao ex-presidente.

PUBLICIDADE

O presidente do PT, Rui Falcão, reforça o argumento de que a denúncia é parte de uma perseguição a Lula com o objetivo de impedir sua candidatura à presidência. “É uma denúncia que já era esperada, que já tinha sido antecipada neste processo de tentativa de criminalização do Lula e da sua interdição futura.”

Apesar das reações, a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, reforça que é ponto quase unânime que a denúncia já causou um dano sem precedentes à imagem de Lula. Para o PT, o contra-ataque é necessário para evitar o próximo passo: a eventual prisão de Lula. “Ou reagimos agora ou adeus”, disse um dirigente à coluna.

Já na oposição a Lula, a avaliação do Palácio do Planalto é de que o “Fora Temer” se enfraquece com a denúncia contra o petista. A avaliação é de que as acusações foram “pesadas” e “graves” e serviram para “colocar o PT nas cordas”, em um momento em que o partido está promovendo manifestações contra o peemedebista pelo País. 

 Por outro lado, para braços da Lava Jato, a apresentação da denúncia tal como foi feita pode ter “carregado na tinta” para além do triplex, o que acentuará reações, ressalta a coluna Painel. Integrantes do PSDB concordam e temem risco de vitimização do ex-presidente.