AO VIVO CEO da Marisa detalha impactos do coronavírus na empresa em live; assista

CEO da Marisa detalha impactos do coronavírus na empresa em live; assista

Arthur Virgílio cobra plano de investimento mais claro para Refinaria de Manaus

Senador recebeu apoio de Agripino Maia, que aproveitou para defender quebra de monopólio na exploração petrolífera

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) cobrou, nesta terça-feira (22), um plano de investimento mais claro sobre a Remam (Refinaria de Manaus). Virgílio teme a possibilidade de desativação da refinaria, o que poderia implicar em uma redução entre 25% e 30% da arrecadação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços do Amazonas) do estado do Amazonas. 

No Plano Estratégico da Petrobras, permanecem indefinidos os projetos de investimento na Remam. “A refinaria deve receber investimentos à altura do que se pretende fazer dela, um polo petroquímico”, disse Virgílio.

Caso não haja uma resposta satisfatória do governo, o senador ameaça obstruir as sessões do Congresso na próxima semana. Assim, atrasar a votação do projeto de Diretrizes Orçamentárias será o maior objetivo de Virgílio, já que a desativação da refinaria afetaria a capacidade de investimento do Estado.

PUBLICIDADE

Votação da Petro-Sal deve ocorrer na quarta-feira
O senador Agripino Maia (DEM-RN) solidarizou-se ao senador e aproveitou para defender a quebra do monopólio na exploração do petróleo nacional. Para Maia, com a estatização da gerência do pré-sal, a Petro-Sal representará um retrocesso.

A votação do projeto de lei que institui a Petro-Sal deve ocorrer nesta quarta-feira (23), já que nesta sessão, apesar de haver quórum necessário, o relator Tasso Jereissati (PSDB-CE) não compareceu ao Senado.

Jereissati é contra o regime de partilha da produção e, consequentemente, contra a criação da Petro-Sal.