Arruda decide não recorrer à cassação de mandato, evitando impeachment

Em carta aos seus advogados, Arruda diz que responderá aos processos como cidadão comum: "saio da vida pública"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – José Roberto Arruda anunciou nesta segunda-feira (22) que não irá recorrer à cassação de seu mandato de governador do Distrito Federal pelo TR-DF (Tribunal Regional Eleitoral). Preso após tentativa de suborno de uma testemunha de um suposto esquema de pagamento de propina, Arruda escreveu a seus advogados uma carta, protocolada no TRE, na qual diz que recorrer seria prolongar o drama.

“Acatando a decisão do TRE, responderei os processos como cidadão comum, longe das paixões e dos interesses políticos. Saio da vida pública”, escreveu. Assim, dois processos que tramitam na Câmara Legislativa do DF estão automaticamente anulados: um sobre o impeachment de Arruda e outro que solicita à Casa autorização para abertura de inquérito criminal no STJ (Superior Tribunal de Justiça). 

Na carta, Arruda disse que foi abandonado pelo DEM e voltou a afirmar sua inocência. Seu mandato foi cassado baseado em um pedido do Ministério Público Eleitoral, segundo o qual Arruda cometeu infidelidade partidária por se desfiliar do partido. Como o TRE não cassou os direitos políticos de Arruda, ele pode voltar a candidatar-se em 2014.