Corrida eleitoral

Aprovação de Dilma cai para zona de alto risco, segundo estudo

De acordo com o levantamento, a avaliação positiva da presidente caiu de 34% para 32%, enquanto a negativa subiu de 22% para 28%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A popularidade da presidente e pré-candidata à reeleição Dilma Rousseff está em queda, mostrou pesquisa Vox Populi/ revista Carta Capital. De acordo com o levantamento, realizado entre os dias 6 e 8 de abril, a avaliação positiva da presidente caiu de 34% para 32%, enquanto a negativa subiu de 22% para 28% na comparação com a última pesquisa.

Com a queda, a aprovação de Dilma passou para uma zona de alto risco, segundo um estudo feito por Alberto Almeida, do Instituto Análise, e citado pelo diretor do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista à Veja. De acordo com o estudo, estaticamente governantes com taxa de aprovação inferior a 34% não se reelegem. 

No início do ano passado, quando surgiram as primeiras manifestações de rua pelo País, o Vox Populi mostrou que a presidente era bem avaliada por 52% dos eleitores. O índice caiu para 34% oito meses depois, e agora recuou mais 2 pontos percentuais. 

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o levantamento, a avaliação positiva de Dilma é maior entre os eleitores do Nordeste (43%), maduros (40%), que estudaram até o ensino fundamental (40%) e com renda inferior a dois salários mínimos (40%). A avaliação negativa é maior entre quem mora no Sudeste (35%), jovens ou adultos (29%), tem ensino superior (44%) e ganha mais de cinco salários mínimos (42%). 

Dilma cai na intenção de votos
Na véspera, a pesquisa de intenção de votos pelo instituto apontou Dilma voltou a perder pontos na corrida eleitoral, mas ainda mantém a mesma “folga” que tinha na última pesquisa. A presidente Dilma perdeu um ponto percentual e passou a ficar com 40% das intenções de voto, o que ainda garantiria uma vitória à petista no primeiro turno. Segundo colocado nas pesquisas, o possível candidato do PSDB, Aécio Neves, no entanto, não aproveitou a oportunidade para se aproximar de Dilma nas pesquisas. O tucano também sofreu queda de 1 ponto percentual e passou a contar com 16% dos votos dos eleitores. Desta forma, Dilma segue com 14 pontos a mais que todos os outros candidatos somados em sua tentativa à reeleição. 

Quem ganhou espaço com esse cenário foi o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que agora conta com 8% do eleitorado – alta de 2 pontos percentuais em comparação com a última pesquisa. Vale lembrar que, durante a semana, a ex-senadora Marina Silva confirmou sua pré-candidatura a vice de sua chapa.