Assista

Apresentador britânico critica duramente Bolsonaro em programa: “não representa o que o povo brasileiro é”

John Oliver usou o quadro mais importante de seu programa para falar sobre as eleições presidenciais do Brasil, criticando Bolsonaro

SÃO PAULO – As eleições presidenciais do Brasil neste domingo (7) foram notícia em todo o mundo e chegaram até a ser comentadas até mesmo pelo apresentador britânico John Oliver, do programa “Last Week Tonight”, dos EUA.

Famoso pelo tom irônico e humorístico, o apresentador dedicou o principal quadro do programa para falar das eleições brasileiras, contextualizando a situação política e econômica do país, explicando a Operação Lava Jato, o descontentamento com o governo e a situação do PT até chegar a criticar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que disputará o segundo turno com Fernando Haddad (PT).

O programa foi exibido ao vivo ao mesmo tempo em que as urnas brasileiras eram apuradas.

PUBLICIDADE

Depois de comentar – e ironizar – a prisão do ex-presidente Lula e a campanha eleitoral de Fernando Haddad, baseada nas decisões de Lula, Oliver apresenta Bolsonaro e comenta que ele é um dos poucos candidatos que não está envolvido em escândalo de corrupção, mas que “infelizmente, essa é a única coisa legal” que se pode dizer do candidato, “porque ele é um ser humano terrível”, ele diz.

O candidato do PT não escapa das críticas: Oliver o chama de “Lula diet”, além de chamar sua campanha de uma “insulto à inteligência das pessoas”.

Ainda sobre Bolsonaro, ele cita o caso envolvendo a deputada Maria do Rosário, quando Bolsonaro comentou que ela “não merecia ser estuprada por ser feia”, a entrevista que ele deu à atriz norte-americana Ellen Page e também seus elogios e menções à ditadura militar e à tortura.

“Isso é praticamente preocupante, em um país que até 1985 foi governado por uma ditadura brutal e, apesar daquele regime se basear em tortura e assassinatos extrajudiciais, Bolsonaro diz que o erro foi que eles não foram longe o bastante”, diz o apresentador. Ele ainda ressalta que as propostas do candidato são “antidemocráticas” e que Bolsonaro é a “versão brasileira de Donald Trump”.

“É preocupante que ele seja tão popular entre as pessoas mais jovens porque ele é um candidato extremamente conservador”, ele ainda diz.

Invista em ações com ZERO taxa de corretagem. Abra sua conta na Clear.

PUBLICIDADE

Ao comentar sobre o movimento #EleNao, Oliver diz que ainda há esperança e que “não é tarde demais”. “Brasil, por favor, eu percebo que você está incomodado com a política no momento e não está inspirado com nenhuma das alternativas, mas qualquer coisa é melhor que Bolsonaro”, ele finaliza. “Bolsonaro não representa o que o povo brasileiro é”.

Assista ao quadro do apresentador a seguir, em inglês.