Sem justificar

Após ser xingado em voo, Gilmar Mendes usa avião da FAB para viajar a São Paulo

Compromisso no TRE de São Paulo não constava em agenda pública divulgada

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Dois dias após ser hostilizado em um voo de carreira de Brasília para Cuiabá, o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para se deslocar da capital mato-grossense a São Paulo, na tarde da última segunda-feira (29).

A informação veiculada na imprensa consta em dados públicos apresentados no próprio site da FAB. Contudo, não estão registrados os motivos para tal. No site do órgão, na parte destinada à autoridade que utilizou o serviço, aparece apenas: “à disposição do Ministério da Defesa Transporte do Presidente do TSE”.

Em resposta a questionamento feito pela reportagem da Folha de S.Paulo, a assessoria de imprensa do ministro, que também preside o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) disse que a solicitação foi feita por não haver voos de carreira disponíveis no horário desejado para o trajeto, para que ele cumprisse um compromisso no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) em São Paulo. Ainda segundo a assessoria do magistrado, em nenhum momento a demanda foi feita com a justificativa de segurança.

PUBLICIDADE

Uma pesquisa feita pela reportagem do mesmo jornal encontrou a existência de um voo diário oferecido pela Latam no mesmo trajeto em horário similar. Além disso, o compromisso de Mendes não estava na agenda pública divulgada pela Corte. Pelas atuais regras em vigor, só podem se deslocar em aeronaves da FAB o vice-presidente da República, ministros de Estado, presidentes do STF, da Câmara e do Senado, comandantes das Forças Armadas e chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.