Eliseu Padilha

Após se dizer preocupado, ministro de Temer afirma que impeachment terá mais de 55 votos

"Hoje eu só sei que vamos ter mais na decisão final", destacou Eliseu Padilha pelo Twitter

SÃO PAULO – Pelo Twitter, o ministro-chefe da Casa Civil Eliseu Padilha buscou ponderar o seu tom de preocupação sobre a reversão de votos contra o impeachment de Dilma. Se, em evento, ele afirmou que o governo interino Michel Temer tinha “muita preocupação” com o risco de alguns votos de senadores serem revertidos contrariamente à atual administração, Padilha afirmou na rede social que o impeachment terá mais de 55 votos. São necessários 54 votos para que Dilma perca o mandato. 

Além disso, ele afirmou ter acertado, em entrevista ao Zero Hora, o placar da votação da admissibilidade do impeachment no mês passado. “Hoje eu só sei que vamos ter mais na decisão final”, destacou. 

Em coletiva realizada na última quinta-feira após a cerimônia de posse do ministro da Transparência, Fiscalização e Controle Torquato Jardim, Padilha afirmou que ainda é muito cedo para avaliar como será a votação do impeachment e citou o risco do impeachment perder votos.

“Quando se pensa em tempo para uma votação desse porte, uma hora antes da votação é quase uma eternidade. Estamos mais ou menos a 60 dias da votação. Portanto, vamos ouvir ainda muitas manifestações que, em tese, não esperávamos que acontecesse”, disse. 

“Portanto, preocupa, sim. Muita preocupação. Agora este é o placar que nós só vamos conhecer 24 horas antes. Eu falei que na Câmara seriam 368 voos, e deu 367. Falei que no Senado seriam 55, e deu 55. Mas isso a gente diz 24 horas antes. Tem muitas variáveis que ainda estão sendo consideradas”, acrescentou Padilha. Segundo o ministro, a premissa maior é a vontade da sociedade brasileira. “Eu tenho certeza de que o Congresso vai retratar isso”, disse ele, ao admitir que, para obter essa vitória, “o governo terá de fazer sua parte”.

(Com Agência Brasil)