Entrevista à Folha

Após falar que “só louco investe no Brasil”, presidente da CSN diz que pode até “Dilmar”

Segundo ele, Marina “é uma boa opção para o Brasil andar para frente”, enquanto vê Dilma Rousseff (PT) como uma presidente que “se distancia da realidade”, mas que pode “sair vencedora” se corrigir as “más experiências”

arrow_forwardMais sobre
(Divulgação)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de S. Paulo) e da CSN (CSNA3), Benjamin Steinbruch, deu entrevista à Folha de S. Paulo. Ele já havia sinalizado que nutre simpatia pela candidata Marina Silva, do PSB, mas afirmou ao jornal que pode até mesmo “Dilmar”. 

Segundo ele, Marina “é uma boa opção para o Brasil andar para frente”, enquanto vê Dilma Rousseff (PT) como uma presidente que “se distancia da realidade”, mas que pode “sair vencedora” se corrigir as “más experiências”. “Não sei em quem eu vou voltar ainda. Posso até ‘dilmar’. Desde que atendidas algumas mudanças”, afirmou. 

O presidente da Fiesp e dono da CSN diz que não ter intenção de revelar seu voto. Para ele, empresários podem sofrer perseguição “de toda ordem” se declararem abertamente em quem vão votar. 

Aprenda a investir na bolsa

O recuo de Benjamin ocorreu depois ele ter falado de maneira mais explícita sobre as eventuais qualidades de Marina. O Palácio do Planalto enviou recados a empresários, dizendo que Dilma estava desapontada com as suas declarações. 

Quanto a troca na Fazenda, antecipada por Dilma, ele elogiou o ministro Guido Mantega por seu “esforço grande de aumentar a interlocução com empresários” e defende que o novo comando seja anunciado logo para garantir “transição tranquila”.

Ele indica ainda interesse em carreira política e até um possível cargo de ministro: “penso, sim, em algum momento fazer algum tipo de serviço público”