Após eleição, S&P diz que reforma fiscal pode acelerar elevação de rating do Brasil

Para analistas da agência, Dilma Rousseff dará continuidade às políticas de Lula, inclusive de responsabilidade fiscal

 

SÃO PAULO – Assim como muitos analistas têm frisado, a prudência fiscal é um desafio importante do próximo governo, a ser assumido pela petista Dilma Rousseff em 2011. Dentro desse escopo, a Standard & Poor’s divulgou uma nota na última segunda-feira, avaliando os impactos das eleições presidenciais nas perspectivas de qualidade de crédito do Brasil.

“Nós esperamos uma continuidade da direção das políticas implementadas durante a administração do presidente Lula”, afirmaram os analistas de crédito Sebastian Briozzo e Joydeep Mukherji, que assinam a nota da agência.

PUBLICIDADE

Para eles, a estratégia macroeconômica não sofrerá mudanças materiais, enquanto as alterações provavelmente continuarão a ser apenas incrementais. Nesse sentido, Briozzo e Mukherji avaliam que o risco para o rating brasileiro permanece limitado, conquanto a próxima administração “reafirme seu comprometimento com a prudência fiscal”.

Aumento do rating
Para a S&P, essa responsabilidade fiscal em um cenário de baixa inflação e crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) pode elevar as chances de melhora do rating brasileiro ao longo do tempo. Neste cenário, segundo os analistas, a falta de modificações mais profundas na estrutura fiscal do Brasil poderia causar algumas vulnerabilidades, porém a dimensão dos riscos fiscais continuaria limitada pelo crescimento do PIB.

Por outro lado, Briozzo e Mukherji indicam que uma elevação do rating brasileiro poderia ser acelerada caso reformas fiscais fossem adotadas. “Avanços em reformas fiscais que dão ao Governo uma maior flexibilidade fiscal poderiam definitivamente acelerar o momentum de melhora creditícia do Brasil”, concluem.

Vale lembrar que o Brasil está entre os países que possuem grau de investimento conforme a classificação da S&P, com rating “BBB-“ e perspectiva estável.

Principais Agências de Rating
Confira na tabela abaixo como são as notas de longo prazo dentro da metodologia das três principais agências de classificação de risco:

S&PMoody´sFitchGrau
AAA
AA+
AA
AA-
A+
A
A-
BBB+
BBB
BBB-
Aaa
Aa1
Aa2
Aa3
A1
A2
 A3
Baa1
Baa2
Baa3
AAA
AA+
AA
AA-
A+
A
A-
BBB+
BBB
BBB-
Investimento
BB+
BB
BB-
B+
B
B-
CCC
CC
C
D
Ba1
Ba2
Ba3
B1
B2
B3
Caa
Ca
C
Wr
BB+
BB
BB-
B+
B
B-
CCC
CC
C
D
Especulativo