Desabafo tucano

Após derrota de Aécio, FHC ataca Dilma: “Caminho de ficar atacando só faz mal ao país”

A votação expressiva de Aécio foi explicada pelo ex-presidente como a mais real evidência de que uma parte do eleitorado brasileiro queria levar adiante o movimento de mudança, o que deve fazer com que o governo petista adote uma nova postura para evitar um aumento da rejeição.

SÃO PAULO – Sem disfarçar o desânimo com a derrota de Aécio Neves, candidato ao Planalto pelo PSDB, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso exaltou o correligionário e destacou que Aécio foi um candidato excepcional. Para o ex-presidente, a derrota do tucano deve ser atribuída ao tom agressivo da campanha de Dilma Rousseff, do PT. “Eu tenho muita experiência de vida política e nunca tinha visto um esforço de destruição de candidaturas como o que foi feito com a Marina Silva (do PSB) e com o Aécio”.

A votação expressiva de Aécio foi explicada pelo ex-presidente como a mais real evidência de que uma parte do eleitorado brasileiro queria levar adiante o movimento de mudança, o que deve fazer com que o governo petista adote uma nova postura para evitar um aumento da rejeição. “Isso deve dar um sinal à presidente Dilma que ela deve mudar de caminho. Esse caminho de ficar atacando e denegrindo só faz mal ao país”, explicou FHC.

Para o ex-presidente, o resultado acirrado da corrida presidencial deve atribuir novas dificuldades para Dilma em sua nova gestão á frente da presidência. “Provavelmente vai ser um governo difícil, com um congresso dividido e uma oposição mais forte do que tinha antes”, afirmou o líder tucano. 

PUBLICIDADE

Sobre uma eventual candidatura de Aécio à presidência em 2018, FHC afirmou que ainda é cedo para pensar nisso, mas não descartou a possibilidade. De acordo com ele, a votação expressiva faz o ex-governador de Minas Gerais sair da eleição como uma importante força política.