Após depoimento de Dilma, Garibaldi afirma que CPI dos cartões está próxima do fim

Segundo presidente do Senado, respostas da ministra foram satisfatórias e continuidade da CPI depende de fatos novos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) afirmou que, se não houver fatos novos, a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) dos cartões corporativos está próxima de uma conclusão.

As declarações seguiram o depoimento da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff ao Senado, ocorrido na tarde da última quarta-feira (7). Segundo Garibaldi, “a ministra respondeu satisfatoriamente a todas as questões”.

O depoimento de Dilma também entusiasmou o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que indicou aumento da possibilidade de candidatura da ministra à sucessão presidencial de 2010.

PAC e dossiê

Aprenda a investir na bolsa

Dilma Rousseff passou quase 10 horas na Comissão de Infra-Estrutura, onde havia sido convidada a falar sobre as obras do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento). Após um acordo entre o governo e a oposição, a ministra também concordou em responder a questões sobre a elaboração de um suposto dossiê com gastos presidenciais no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Tendo negado a existência do dossiê, Dilma disse que foi feito somente um banco de dados sobre o assunto a partir de uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União), que havia constatado a existência de uma organização precária de dados. Contudo, a ministra defendeu a abertura das despesas presidenciais, a partir do momento em que isso não comprometa mais a segurança.

Nesse sentido, Dilma ainda afirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia dito que tornaria públicos os gastos de sua gestão assim que saísse da presidência.

Vazamento de informações

Entretanto, no depoimento ao Senado, Dilma Rousseff disse que o vazamento de dados precisa ser apurado. A questão conta também com a investigação da Polícia Federal, cujo prazo expirou na última quarta-feira, após um mês da abertura do inquérito.

Nesta quinta-feira deve ser encaminhado um parecer do Ministério Público favorável à prorrogação do prazo, como pediu o delegado Sérgio Menezes.