Efeitos da condenação

Após condenação, Lula dá recado claro a aliados; PT só vê dois cenários para o ex-presidente

Para o partido, ou Lula será candidato ou preso político, afirma coluna Painel, da Folha de S. Paulo 

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu um forte revés na véspera ao ser condenado a 9 anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro. Mas, mesmo com o noticiário negativo, ele aproveitou as ligações de aliados para dar um recado claro: “não vou esmorecer”. 

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, no PT, é proibido falar em plano B sobre a eleição de 2018, em que Lula figura na liderança, de acordo com diversas pesquisas. Segundo o jornal, o PT avalia que Sergio Moro calculou mal não só a pena, mas também o timing da condenação do petista. Isso porque a condenação vai estimular a comparação com escândalos recentes, como a mala de propina de Rodrigo Rocha Loures. O partido reafirmar que, se necessário, irá ao STF pelos direitos políticos de Lula. “Só veem dois cenários: ou ele será candidato ou preso político”, diz a coluna sobre a legenda.

Já os movimentos de esquerda preparam uma série de manifestações contra a decisão de Moro. Vale ressaltar que toda a bancada do PT no Congresso foi chamada para encontro com o ex-presidente nesta quinta, em São Paulo.  

Enquanto isso, o governo e a oposição a Lula digerem os impactos da condenação. Aliados do presidente Michel Temer dizem que a condenação do petista favorece o presidente em pelo menos dois pontos: divide o noticiário negativo na política e reacende o espírito corporativista do Congresso ao discurso de que há uma ofensiva contra a política. Vale ressaltar que a chance de Lula ficar inelegível muda a equação que norteia as estratégias de siglas que têm pré-candidatos. Porém, para os tucanos que estão intimamente conectados à disputa em 2018, o melhor cenário seria Lula candidato e derrotado (como já afirmado algumas vezes pelo prefeito de São Paulo, João Doria). Só assim ele perderia a aura de mito, afirmam.