Após 47 anos, consenso entre países revoga suspensão de Cuba da OEA

Durante encontro em Honduras, texto que prevê a volta do país caribenho ao grupo é aprovado sem a imposição de condições

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois de 47 anos mantida fora do grupo, Cuba voltou nesta quarta-feira (3) a integrar a OEA (Organização dos Estados Americanos). O fato ocorreu em Honduras, onde aconteceu a 39ª Assembleia Geral da organização. Segundo o ministro das Relações Exteriores do Equador, Fander Falconi, representantes de todas as nações que compõem o grupo chegaram “a um consenso sobre um texto que não impõe condições” para Cuba retornar à OEA.

O país caribenho fora suspenso da organização em 1962, sob influência dos EUA, quando foi aprovada uma resolução para punir Cuba da acusação de ter recebido armas de países comunistas, como Rússia e China.

“Este é um momento de alegria para todos os latino-americanos (…) muitos de nós não tinham nascido naquele momento e o que esta geração está fazendo é basicamente emendar a história. Aqui temos um desafio de construir uma história diferente”, afirmou Falconi.

‘ferramenta dos EUA’

Aprenda a investir na bolsa

Representando os EUA no encontro, a secretária de Estado Hillary Clinton foi defendeu que a volta de Cuba para o grupo fosse condicionada a avanços do regime cubano no aumento das liberdades civis e políticas para atender aos critérios democráticos da OEA.

Por sua vez, Cuba declarou que não possui interesse de retornar ao que chamou de “ferramenta dos EUA”. Já o Brasil se posicionou diplomaticamente para garantir o fim da suspensão.