Segundo Valor

Apoio ao impeachment surpreende Planalto e gera temor sobre manifestações

Agora, mesmo que não haja base legal para o impeachment, o temor é de que as manifestações populares possam atrair um número maior de participantes, informa Valor

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Enquanto a trajetória de queda de popularidade de Dilma Rousseff apontada pelo CNT/MDA não surpreendeu o Palácio do Planalto, o apoio da população para o impeachment da presidente registrada pela pesquisa surpreendeu o governo, informa o jornal Valor Econômico.

A pesquisa mostrou que a avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff caiu de 10,8% em março para 7,7% em julho. Já o percentual de eleitores ouvidos que defendem o impeachment da presidente aumentou de 59,7% em março para 62,8% agora. Cerca de 32,1% são contra o impeachment de Dilma, ante 34,7% de março.  

Agora, mesmo que não haja base legal para o impeachment, o temor é de que as manifestações populares possam atrair um número maior de participantes. A próxima manifestação que está prevista é do dia 16 de agosto, com apoio de grupos anti-Dilma como MBL (Movimento Brasil Livre) e Vem Pra Rua. 

Aprenda a investir na bolsa

Em pergunta estimulada aos que se disseram favoráveis ao impeachment, 26,8% mencionaram que a medida se justificaria devido à existência de irregularidades nas prestações de contas do governo e outros 25% citaram a corrupção na Petrobras investigada pela Operação Lava Jato, ante 14,2% que apontaram ilegalidade na prestação de contas da campanha. Para 44,6%, os três motivos embasariam o impeachment da presidente.

A pesquisa, assim, além de demonstrar uma maioria favorável ao impeachment, mostra que grande parte dos críticos sabe exatamente os motivos de sua indignação. E a margem de manobra da presidente parece cair a cada dia.