Apesar de início tardio da CPI mista, oposição promete ser dura nas investigações

Antonio Roberto presidirá a primeira sessão; Heráclito Fortes afirma que atos ilícitos não ficarão impunes

SÃO PAULO – Apesar do atraso de quase um mês para o início da CPI mista dos cartões corporativos, a oposição promete ser incisiva nas investigações, afirmando que nada do que foi feito fora das conformidades vai ficar impune. Além disso, afirma que a demora nas investigações é uma forma de desgastá-la.

Com os nomes dos integrantes da comissão lidos na última sessão, Antonio Roberto (PV-MG), parlamentar mais idoso, irá presidir a primeira sessão. Lembrando que apesar de já praticamente resolvido, o deputado ainda precisa indicar oficialmente o presidente da comissão.

Conflitos perduram

Mesmo reconhecendo que com a lentidão do processo as investigações perderam força, o senador Heráclito Fortes (DEM-PI) afirmou que as averiguações devem continuar, e que o governo não conseguirá acobertar nenhum ato ilícito.

PUBLICIDADE

Por outro lado, os governistas afirmam não poder voltar suas atenções exclusivamente para uma CPI, tendo em vista a necessidade de tratar de assuntos mais importantes, como a votação do orçamento de 2008 e a proposta de reforma tributária.