AO VIVO Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Por Dentro dos Resultados: CEO da GPC divulga e comenta os resultados da empresa no 3º trimestre

Ainda dá tempo, Aécio?

“Apagado, Aécio simplesmente sumiu e deve ficar estagnado”, prevê cientista política

Para Vera Chaia, PSDB tem sido determinante para derrotas consecutivas dos seus últimos presidenciáveis; "legenda não segura, nem apoia seus candidatos"

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As pesquisas de intenção de voto do Ibope e do Datafolha para a eleição presidencial voltaram a mostrar um novo declínio do candidato do PSDB, Aécio Neves, que está na terceira colocação, atrás de Dilma Rousseff (PT) e de Marina Silva (PSB).

De acordo com Vera Chaia, cientista política da PUC-SP, o tucano simplesmente desapareceu e perdeu força, depois que Marina iniciou sua trajetória ascendente. “Apagado, Aécio simplesmente sumiu”, afirmou o especialista. “A tendência dele é estagnar ou perder ainda mais intenção de votos”, explicou.

Além do desempenho meteórico da pessebista, a “derrocada” de Aécio teve contribuição de suas “performances apagadas” nos debates e do fato de alguns correligionários seus já sinalizarem apoio à ex-senadora em um eventual segundo turno entre ela e a presidente.

Aprenda a investir na bolsa

Em tom crítico, Chaia explicou que o PSDB tem sido determinante para as derrotas consecutivas dos seus últimos presidenciáveis. “O PSDB não segura, nem apoia os seus candidatos. Em 2002, José Serra foi candidato à revelia do PSDB. Em 2006, Geraldo Alckmin ficou isolado”, opinou. “Aécio era uma tendência de rotatividade da liderança, conseguiu se impor como candidato, mas o partido continua dividido e isso está atrapalhando bastante”.

A cientista política também desferiu críticas contra a equipe de campanha do tucano. “O setor de marketing político do PSDB está muito devagar. Eles precisavam desconstruir a imagem do outro, deixando a máscara da bondade e mostrando que são capazes de enfrentar essa luta política”, concluiu.