Juiz da Lava Jato

Ao NYT, Moro faz questionamento sobre Lava Jato e diz por que não se arrepende de ter divulgado áudios de Lula

O jornal americano aponta que Moro tornou-se o rosto da luta nacional contra a corrupção no Brasil e que foi responsável por alguns dos maiores casos do país 

SÃO PAULO – Em entrevista no último sábado (26) ao jornal americano The New York Times, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela primeira instância da Operação Lava Jato em Curitiba (PR), mostrou preocupação sobre a força da Operação para gerar mudanças duradouras na luta contra a corrupção no Brasil.

Conforme destaca em entrevista à publicação, Moro apontou  que a Lava Jato quebrou a lógica da impunidade da corrupção no Brasil. Contudo, questionou se esse impacto será permanente. 

“Da forma como eu enxergo, o caso conhecido como Lava-Jato representa o fim da impunidade como regra no Brasil para este tipo de crime. A questão é: será uma mudança permanente ou apenas algo episódico?”, questionou.

PUBLICIDADE

O jornal aponta que Moro tornou-se o rosto da luta nacional contra a corrupção no Brasil e que foi responsável por alguns dos maiores casos do país, incluindo a condenação no mês passado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma das figuras mais influentes do Brasil em décadas. 

Ainda sobre o petista, Moro disse não se arrepender da divulgação dos telefonemas do ex-presidente Lula, que gerou muita polêmica em março do ano passado. “Eu acho que a democracia vence quando, digamos, as pessoas descobrem o que seus lideranças fazem nas sombras. Especialmente quando o que eles estão fazendo é ilícito”, disse o juiz.

Moro ainda admitiu à reportagem que sua popularidade foi importante para a investigação. “Foi importante de forma que esses casos, que implicaram pessoas poderosas, não foram obstruídos de alguma forma”, disse ele.