Em Pernambuco

Ao lado dos filhos de Campos, Aécio defende bandeiras de Marina – mas não todas

Presidenciável pelo PSDB exaltou Eduardo Campos e Marina Silva, mas foi vago sobre alguns pontos condicionantes para que a candidata derrotada do PSB ao Planalto o apoie; Aécio disse que o encontro de hoje foi o mais importante da campanha

SÃO PAULO – Ao lado de três filhos de Eduardo Campos – João, Pedro e Maria Eduarda -, o presidenciável pelo PSDB Aécio Neves participou de ato político em Pernambuco na manhã deste sábado (11). Ele reuniu lideranças de movimentos sociais e lideranças do PSB e assumiu trechos de compromissos que contemplam as exigências de Marina Silva, mas deixando de fora alguns pontos como desistir da redução da maioridade penal. As informações são dos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo.

Aécio leu um documento em que se comprometeu a garantir ao Executivo o papel da demarcação de terras indígenas, ampliar a reforma agrária e acabar com a reeleição no Executivo. Porém, ao se comprometer com o fim da reeleição, não disse se a regra valeria para ele. 

Ao falar sobre uma das pautas da candidata derrotada Marina Silva e que foram colocadas à mesa como condição para que ela o apoiasse ao segundo turno, Aécio fez críticas à sua adversária petista: “o governo Dilma tem sido negligente na questão da demarcação de terras indígenas”.

PUBLICIDADE

Ele também prometeu “dar a devida importância” à questão das mudanças climáticas, defendeu a economia de baixo carbono e manteve o compromisso com os programas de transferência de renda. “Vamos transformar o Bolsa Família em política de Estado e não de governo”, ressaltou.

Aécio exaltou Marina por diversas vezes e prometeu dar continuidade ao legado de Campos no primeiro turno da campanha: “Me sinto responsável para levar para cada canto do País o legado e o sonho de Campos”, enquanto Marina foi chamada de “honrada e digna brasileira”.

Ele ainda disse que o encontro de hoje foi o mais importante da campanha. Ele ainda participa de um encontro com a coligação que elegeu governador o pernambucano Paulo Câmara (PSB) e almoça com a viúva de Eduardo Campos, Renata.