Assembleia-Geral da ONU

Anvisa recomenda isolamento de comitiva de Bolsonaro após infecção de Queiroga por Covid em NY

Presidente voltou ao Brasil na manhã desta quarta-feira depois de, na véspera, discursar na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas

Por  Reuters -

BRASÍLIA (Reuters) – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou à Casa Civil da Presidência da República na madrugada desta quarta-feira (22) que o presidente Jair Bolsonaro e os membros da comitiva que o acompanhou em viagem a Nova York fiquem 14 dias em isolamento, após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que fez parte do grupo, ser diagnosticado com Covid-19.

Bolsonaro voltou ao Brasil na manhã desta quarta-feira depois de, na véspera, discursar na abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas. Queiroga confirmou na noite de terça que teve um teste positivo para Covid e que ficará 14 dias em quarentena em Nova York.

“A agência submeteu à Casa Civil considerações relativas aos regramentos vigentes e antecipou recomendação sanitária alinhadas às regras brasileiras que visam à proteção dos viajantes e da população brasileira”, disse a Anvisa em nota.

“No expediente, a Anvisa considera que a situação deve ser objeto de apreciação imediata pela Casa Civil da Presidência da República”, acrescentou.

A agência recomendou ainda que o isolamento seja cumprido em Brasília, onde o grupo desembarcou, para evitar novos deslocamentos e que Bolsonaro e os demais membros da comitiva, entre eles a primeira-dama Michelle Bolsonaro e ministros como Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral) e Carlos França (Relações Exteriores).

Procurado, o Palácio do Planalto não respondeu de imediato a questionamento sobre se Bolsonaro e os membros da comitiva cumprirão a recomendação da Anvisa.

Conheça o plano de ação da XP para você transformar os desafios de 2022 em oportunidades de investimento.

Compartilhe