Mais uma vez

André Esteves volta a ser investigado em inquérito contra Cunha na Lava Jato

Apenas dois dias depois de ter a prisão domiciliar revogada, empresário volta a aparecer em investigação

SÃO PAULO – Com a prisão domiciliar revogada na segunda-feira (25), o ex-presidente do BTG Pactual, André Esteves, é alvo de uma nova investigação na Operação Lava Jato. O inquérito em questão foi aberto pelo STF (Supremo Tribunal Federal) contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 

Segundo informações da Folha de S. Paulo, o objeto da investigação são os crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Novamente ficam em evidência as suspeitas de pagamentos de Esteves para que Cunha aprovasse, sugerisse emendas ou trabalhasse para vetar medidas provisórias no Congresso. 

Um bilhete encontrado pela Polícia Federal em novembro traria uma anotação dizendo que o BTG pagou R$ 45 milhões para que Cunha mudasse uma MP.  

PUBLICIDADE

O senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), em delação premiada, chamou o presidente da Câmara de “menino de recados de André Esteves”, especialmente se o assunto das MPs era do interesse do BTG. 

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; CLIQUE AQUI e baixe!

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa