Lava Jato

Anastasia e Cunha são “inocentados” por Youssef; “há interesse em tumultuar”, diz advogado

Advogado Antônio Figueiredo Basto, que defende o doleiro Alberto Youssef na Operação Lava Jato, afirmou que o seu cliente não conhece e e nunca mandou entregar dinheiro para o senador eleito Antonio Anastasia (PSDB-MG) e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

SÃO PAULO – O advogado Antônio Figueiredo Basto, que defende o doleiro Alberto Youssef na Operação Lava Jato, afirmou na última segunda-feira (12) ao G1 e à Folha de S. Paulo que o seu cliente não conhece e nunca mandou entregar dinheiro para o senador eleito Antonio Anastasia (PSDB-MG) e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), além de não ter nenhum negócio com eles. 

Basto afirmou que estão acontecendo vazamentos “frutos de interesses políticos para tumultuar investigações”. Desta forma, ele vai protocolar na Justiça uma petição dizendo que o doleiro não determinou remessas de dinheiro para eles. 

“Meu cliente nunca teve relação com o Antonio Anastasia ou com Eduardo Cunha. Se houve entrega de dinheiro para essas pessoas, não foi meu cliente que mandou entregar”, afirmou Basto.

PUBLICIDADE

Segundo ele, se houver alguma parte da investigação que chegue a citar Cunha ou Anastasia como beneficiários de dinheiro “sujo”, não será a partir da delação premiada de Alberto Youssef.

Cunha passou a ser alvo da Operação Lava Jato após declaração do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como “Careca”, que seria um dos funcionários do doleiro Alberto Yousseff. O mesmo policial informou, em declaração feita em 18 de novembro do ano passado, que entregou R$ 1 milhão ao então candidato a governador Anastasia, em 2010, a pedido do doleiro Alberto Youssef.

Ontem, no Twitter, Eduardo Cunha afirmou que as declarações do advogado de Youssef confirmam o que ele já dizia desde a semana passada em sua defesa.