AO VIVO Analista Charlles Nader explica estratégia para ter consistência na Bolsa

Analista Charlles Nader explica estratégia para ter consistência na Bolsa

Ana Maria registra candidatura pelo PRP, mas partido quer sua expulsão

Imbróglio começou porque, após ser lançada candidata, Ana Maria denunciou Ovasco Resende, presidente do PRP, por extorsão

SÃO PAULO – Recorrendo à lei que permite que o próprio candidato requeira o registro de sua candidatura em até dois dias após o fim do prazo oficial, que se encerrou em 05 de julho, Ana Maria Rangel, filiada ao Partido Republicano Progressista (PRP), enviou na última sessão para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o seu registro de candidata à Presidência da República.

No entanto, uma disputa interna partidária pode inviabilizar tal pretensão. Apresentando um documento que torna sem efeitos a decisão da Convenção Nacional do dia 29 de junho, que escolheu Ana Maria Rangel candidata, o presidente do PRP, Ovasco Roma Altimari Resende, disse que a cientista política não vai concorrer às eleições pelo PRP e que será expulsa do partido por infringir a ética partidária.

Suposta tentativa de extorsão

Todo imbróglio começou porque após ser lançada candidata à presidência em convenção, Ana Maria Rangel denunciou ao Ministério Público Ovasco Resende por tentativa de extorsão. Segundo a cientista política, no dia 13 de junho, Resende pediu dinheiro para que a candidatura saísse.

Confirmando que um contrato de R$ 3 milhões, sendo R$ 2 milhões para os diretórios partidários e R$ 1 milhão para Ovasco, a título de serviço de assessoria política, foi assinado, o advogado do presidente do PRP, Alberto Rolo, negou que seu cliente tenha tentado qualquer tipo de extorsão contra Ana Maria Rangel.