STOCK PICKERS Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Nova polêmica

Amigo de Temer, Yunes diz que foi “mula” e recebeu pacote a pedido de Padilha, afirma jornal

Segundo colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, advogado afirma a interlocutores que nunca teve nada a ver com a origem nem com o destino dos recursos

SÃO PAULO – No ano passado, o advogado José Yunes deixou o cargo de assessor especial do presidente Michel Temer após o vazamento da delação do ex-executivo da Odebrecht Claudio Melo afirmar que ele teria recebido em 2014 R$ 1 milhão oriundo da empreiteira em dinheiro vivo em seu escritório, em São Paulo. Agora, Yunes está decidido a esclarecer a história, segundo informa a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo

Yunes, um dos melhores amigos de Temer, diz a vários interlocutores que foi um mero “mula” e que nunca teve nada a ver nem com a origem nem com o destino dos recursos, tendo recebido um “pacote” a pedido do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que pediu um favor a ele. 

De acordo com a colunista, Padilha queria que Yunes recebesse em seu escritório alguns “documentos”, que depois seriam retirados de lá por um emissário e que teriam como destino campanhas ligadas ao grupo do ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. Yunes concordou e, na hora combinada, para sua surpresa, Lúcio Funaro (tido como operador de Eduardo Cunha) apareceu para tratar dos recursos. 

PUBLICIDADE

O advogado afirma que mal conversou com Funaro e que acredita na possibilidade de ter havido um acerto de contas interno de Padilha com Cunha em torno dos recursos., aponta a colunista. Ao ser procurado pela Folha por meio de sua assessoria, Padilha não respondeu.