América Latina irá pedir à Europa ênfase em direitos humanos de imigrantes

Países da região não querem que imigrantes ilegais sejam considerados e tratados como criminosos

SÃO PAULO – Os países da América Latina irão pedir à União Européia ênfase nos direitos humanos dos imigrantes. Isso será feito durante a 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia, que acontece até sábado (17), no Peru.

Para a diretora do Departamento da Europa, do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Maria Edileuza Fontenele, o tratamento dado às pessoas que estão ilegal deve ser mudado.

“É equivocado o entendimento de que uma pessoa indocumentada seja considerada uma pessoa que está em uma situação de ilegalidade. Não entendemos assim, nenhum estrangeiro no Brasil que esteja em situação irregular perante a imigração é considerado um criminoso por essa razão”, afirma.

Custo de remessas de dinheiro

PUBLICIDADE

Segundo a Agência Brasil, também será negociado a redução dos custos de remessas de dinheiro que os latinos americanos que vivem na Europa fazem para seus países. “As duas partes (a latina e a européia) estão se comprometendo, até o momento, a trabalhar no sentido de facilitar as remessas”, informa Fontenele.

Segundo um estudo do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), no ano passado os países da América Latina e Caribe receberam US$ 66,5 bilhões de remessas, sendo o Brasil e o México os principais destinatários. A maior fonte de remessa é os Estados Unidos, seguido pela Espanha.

Além disso, Fontenele também afirmou que a União Européia deverá propor a criação de um foro voltado para ações de combate às mudanças climáticas, o EuroClima. Também há a intenção da Espanha de criar a Fundação EuroLac, para promover ações de cultura e desenvolvimento da região, com intercâmbio Acadêmico.