Política

Álvaro Dias elogia Barbosa e cobra que governo corte na própria carne

O parlamentar lembrou que muitos críticos ao atual governo avaliam que foi feito um estelionato eleitoral, já que o discurso durante a campanha, conforme ele, era a de que a economia ia bem

arrow_forwardMais sobre

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) começou sua fala na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), nesta terça-feira, 17, elogiando a competência do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que falou na Comissão antes dele. Na sequência, no entanto, passou a elencar uma série de problemas pelos quais, segundo ele, a economia brasileira passa neste momento. “O senhor é competente, mas não é mágico e muito menos milagreiro para resolver problemas”, afirmou.

O parlamentar lembrou que muitos críticos ao atual governo avaliam que foi feito um estelionato eleitoral, já que o discurso durante a campanha, conforme ele, era a de que a economia ia bem. “A credibilidade do governo está no fundo do poço e a população não acredita ser possível pensar em corte de gastos sem mudanças mais radicais”, afirmou.

Dias disse também que a atuação do governo fica no “balcão de negócios” e que se constitui na matriz dos escândalos de corrupção. “As ruas mostraram neste domingo a incredibilidade do povo com governo”, disse. Em seguida, o senador sugeriu ao ministro que haja redução do tamanho do estado. “Não acreditamos em ajuste fiscal sem que governo corte na própria carne”, afirmou, citando como exemplo drástico a redução do número de ministérios.

PUBLICIDADE

Segundo ele, o anúncio de obras é temerário, pois, na avaliação do parlamentar, o BNDES é mais generoso com obras de fora do que com as do Brasil. “Não temos como acreditar (em obras) em função dos precedentes e do momento que estamos vivendo”, disse. “Como acreditar em anúncios de obras e investimentos se o BNDES prefere exterior?”, questionou.

Gleisi Hoffmann rebate
Enquanto isos, a ex-ministra da Casa Civil do primeiro governo Dilma Rousseff e atual senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) rebateu as criticas de Álvaro Dias ao ajuste fiscal promovido pelo governo para recuperar a economia. “O governador Beto Rixa (PSDB-PR) tem uma situação crítica e tomou medidas muito duras”, disse. “O que se critica aqui é o que se está fazendo no Paraná”, afirmou.

O embate ocorre em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, que ouve o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, para discutir o ajuste fiscal. “Fazer ajuste numa situação de crise que se mantém não é rever o passado como se estivesse errado”, disse a senadora.

Gleisi defendeu o ajuste como parte das iniciativas do governo Lula, em 2008, para evitar demissões em meio à crise financeira internacional. “O que o presidente Lula fez em 2008 foi acertado, precisávamos proteger o emprego e a renda”, afirmou.

A senadora destacou a desoneração da folha de pagamento no primeiro mandato de Dilma como parte desse movimento de proteção iniciado por Lula. “Não pode agora a oposição dizer que foi equivocado. Não vi a oposição fazer isso quando se aprovaram as desonerações (no Congresso)”, observou.

Com Agência Estado