Perspectivas

Alta da Bolsa vai continuar? Prévia do PIB e 2 discursos de Yellen agitam a próxima semana

Com mercado em uma onda de otimismo, agenda recheada de indicadores poderá pesar para o mercado nos próximos dias

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em uma semana que tinha tudo para terminar no zero a zero para a Bovespa, uma combinação de notícias positivas ajudou a bolsa brasileira a conquistar ganhos de quase 2% e atingir um possível “novo momentum”. Nos últimos dias, a falta de notícias acabou deixando o mercado estável, deixando de lado o otimismo do estrangeiro com o Brasil e as seguidas quebras de máximas de Wall Street.

A XP Investimentos destacou esta semana a queda do Risco País para o menor nível desde junho de 2015, o que demonstra uma melhora de cenário para o Brasil, com a entrada de capital estrangeiro. Aliado a isso, diversas casas revisaram suas projeções para inflação e Selic, vendo agora o IPCA no centro da meta do governo, enquanto os juros caminham para a casa de 9% já no fim deste ano, o que traz ainda mais otimismo para o mercado.

Para os próximos dias, a agenda de indicadores será bastante movimentada, apesar de não ter nenhum dado que costuma ter grande impacto no mercado, deixando as atenções voltadas para as novidades a serem apresentadas por Donald Trump – como seu prometido corte de impostos nos EUA – e para a política brasileira. Entre os indicadores, a prévia do PIB por aqui e as falas de líderes do Federal Reserve serão os destaques.

PUBLICIDADE

Confira os principais eventos da próxima semana:

IBC-Br
O principal indicador a ser divulgado no Brasil será o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Após o indicador subir 0,2% em novembro, a expectativa dos analistas é que o resultado seja de queda de 0,6% em dezembro. 

Dados na China
Na segunda-feira (13) às 22h30 (horário de Brasília) serão apresentados os dados de inflação na China com expectativa de aumento para 2,4% segundo a LCA Consultores – ante 2,1% no mês anterior. Após dados recentes superarem as expectativas, qualquer nova notícia positiva no gigante asiático pode impulsionar ainda mais o mercado. Ainda na semana serão divulgados os números de crédito, empréstimos e de investimento estrangeiro no país. 

Fala de integrantes do Fed
Nos Estados Unidos, além das novidades envolvendo Trump, que nos últimos dias informou que fará um anúncio “fenomenal” de impostos nas próximas semanas, o mercado ficará de olho às falas de integrantes do Federal Reserve, que provavelmente comentarão sobre a política monetária do país, podendo impactar principalmente o dólar. Destaque para a presidente da autoridade, Janet Yellen, que fala duas vezes na semana. Na agenda, terça-feira (14) falarão Jeffrey Lacker (Richmond), Robert Kaplan (Dallas) e Dennis Lockhart (Atlanta). Já na quarta, é a vez de Eric Rosengren (Boston) e Patrick Harker (Filadélfia).