Alimentos: maior parte dos consumidores brasileiros quer produtos práticos

No Brasil, há quatro perfis de consumidores de alimentos. O grupo preocupado com o ambiente tem maior potencial de crescimento

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Quando o assunto é consumo de alimentos, é possível distinguir perfis diferentes entre os brasileiros. Pesquisa do Ibope Inteligência, encomendada pela Fiesp, mostra que a maior parcela dos consumidores (34%) pode ser enquadrada no grupo que prioriza produtos que oferecem conveniência e praticidade.

Segundo a pesquisa, existem ainda outras três tendências de consumo de alimentos por parte dos brasileiros. Entre eles, estão aqueles que escolhem os produtos de acordo com a confiabilidade e qualidade (23%). Para outros 22% o que importa é o sabor do alimento. Já 21% dos consumidores buscam alimentos que trazem benefício à saúde.

Conveniência e praticidade
Por conta da rotina corrida que levam, os consumidores classificados no grupo que prioriza a conveniência e praticidade têm nos alimentos congelados e semiprontos fortes aliados. De acordo com a pesquisa, esses consumidores confiam na qualidade dos produtos industrializados, ao mesmo tempo que priorizam sabor e variedade.

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa identificou que esse perfil de consumidor está presente nas classes A, B e C. Esse segmento está disposto a aumentar o consumo desse tipo de produto, caso ele apresente preços mais atraentes.

Qualidade e sabor
De acordo com a pesquisa, a classe C é a maior representante do grupo que prioriza a qualidade dos alimentos. Para esse segmento, as escolhas dos produtos se baseiam na qualidade. O levantamento constatou que esse grupo está disposto a pagar mais por produtos nos quais confia.

Para o grupo cuja prioridade é o prazer, o que o leva a consumir alimentos é o sabor. Esses consumidores possuem um perfil mais impulsivo na hora de comer.

Bem-estar e sustentabilidade
Para a parcela dos consumidores que se enquadram no grupo em que o consumo de alimentos reflete a busca por saúde, o que importa é a qualidade de vida. Embora seja o grupo de menor representatividade na população (21%), a pesquisa identificou que é o que tem maior potencial de crescimento.

Na hora de consumir alimentos, esses consumidores levam em conta um ideal que apenas o próprio bem-estar. Eles também se preocupam com o ambiente e a sociedade.

Por conta disso, eles priorizam a compra de alimentos industrializados de empresas que protegem o meio ambiente ou que possuem projetos sociais. Nesse sentido, deixam de comprar os itens daquelas envolvidas em quaisquer irregularidades dessa natureza.

PUBLICIDADE

No mercado consumidor de alimentos, esse grupo está mais presente na classe C, com maior destaque para os consumidores localizados na região Nordeste.

Sobre a pesquisa
A Pesquisa Nacional sobre o Perfil de Consumo de Alimentos no Brasil foi feita com 1.512 pessoas com idade acima de 16 anos em abril deste ano em nove cidades brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Fortaleza e Salvador.

Para identificar os grupos de tendências, levou-se em conta fatores como, o crescimento e o envelhecimento da população no Brasil e no mundo, o aumento do poder de compra, a redução do número de filhos por família, a participação das mulheres no mercado de trabalho, o maior acesso à informação e outros.