Mercado

Aliados do PT preparam CPI para investigar contas da Petrobras

Iniciativa de parlamentares tem sido interpretada pela cúpula da estatal como parte de estratégia de pressão para cargos vagos na empresa, informa Agência Estado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Partidos da base aliada do governo Dilma iniciaram investigações sobre a Petrobras (PETR3; PETR4) pedindo por mais transparência. A iniciativa envolve a coleta de assinaturas para a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) e o convite para que a presidente Graça Foster explique no Congresso a razão de negociações internacionais polêmicas.

A participação nas duas iniciativas de políticas de legendas de apoio ao governo tem sido interpretada pela cúpula da estatal como parte de uma estratégia de pressão para que cargos vagos na empresa sejam assumidos por pessoas dos partidos, informa a Agência Estado.

A Diretoria Internacional é alvo das investigações parlamentares, que foi ocupada emergencialmente por Graça há um ano. Até o primeiro semestre do ano passado, a diretoria era controlada pelo PMDB, principal legenda aliada do PT. Ao afastar o comando da diretoria, Graça incomodou o partido, que tem o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente do Senado, Renan Calheiros, e o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves.

Aprenda a investir na bolsa

Procurada pela reportagem, a Petrobras não aceitou comentar o convite para que Graça Foster compareça à Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado federal Eduardo Fonte (PE), do PP, partido da base de apoio do governo federal. Ela pediu que o depoimento seja marcado para a primeira quinzena de maio. A audiência será conjunta com as comissões de Finanças e Tributação, Fiscalização e Controle e Segurança. 

Impacto nas ações
Em relatório, a equipe de análise da XP Investimentos comenta que o mercado deve monitorar os desdobramentos de tal notícia que podem ter repercussão negativa e trazer muito “ruído” para as ações da Petrobras. “Não existe data para a definição e acreditamos que tal evento seria negativo para o desempenho das ações em bolsa. Seguimos não recomendando exposição do ativo”, avalia.

O detalhamento de pelo menos dois negócios da Petrobras no exterior estão na mira tanto da Comissão de Minas e Energia quanto de uma futura CPI, caso seja instalada: a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, e a venda de parte dos ativos da companhia na Argentina, incluindo refinarias e distribuidoras.