Alckmin nega privatizações, mas diz que Governo não deve ter 100% do controle

Declarações foram realizadas durante entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, na noite de domingo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Reiterando que os rumores sobre a privatização de estatais são infundados, Geraldo Alckmin disse durante entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, na noite de domingo (22), que não pretende vender o controle de empresas como Petrobras, Correios, Nossa Caixa e Banco do Brasil.

“É tudo mentira. Não posso imaginar que alguém que é o presidente da República não tenha o menor compromisso com a verdade”, afirmou.

O tucano disse, no entanto, que “Governo não deve ter 100% de ações de estatais”. Alckmin defendeu as privatizações realizadas em São Paulo e pelo governo Fernando Henrique. Destacando os avanços obtidos pelos serviços de comunicações, lembrou do ganho de eficiência gerado por estas operações.

Choque de gestão e pesquisas políticas

Aprenda a investir na bolsa

Outro ponto bastante debatido durante a entrevista foram as medidas para reduzir os gastos públicos e reforma da previdência. O candidato ressaltou a qualidade da sua gestão em São Paulo e criticou Lula no governo federal. “Nós cortamos um déficit de 25% para 3% no primeiro ano [1995] e depois o zeramos nos 11 anos seguintes”.

Defendendo os positivos impactos do combate à corrupção e a informalidade sobre o crescimento da arrecadação, assim como corte de gastos desnecessários, o tucano disse que a arrecadação pode crescer sem a criação de novos impostos. “O Brasil cresce e as despesas, não. Assim, abre espaço para investir”.

Demonstrando confiança na possibilidade de ser eleito, Geraldo Alckmin minimizou ainda a importância das últimas pesquisas eleitorais, que apontam grande vantagem de Lula. “A população já viu o que aconteceu no primeiro turno e não valoriza muito os números de pesquisas. A virada é sempre na última semana. A eleição não está decidida”.