Segundo Estadão

Agora na mira da PGR, Dilma diz a Lula por telefone: “vou resistir até o fim”

Presidente fez duras críticas à ofensiva do procurador-geral da República Rodrigo Janot e, convencida de que o Senado votará pelo seu afastamento, reforçou seu discurso de resistência

SÃO PAULO – Em conversa por telefone com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff fez duras críticas à ofensiva do procurador-geral da República Rodrigo Janot, segundo informa o jornal O Estado de S. Paulo

Dilma disse que é preciso reagir a ataques “infundados” e não deixar nenhuma acusação sem resposta. Além disso, convencida de que o Senado votará pelo seu afastamento, a presidente reforçou seu discurso: “eu vou resistir até o fim”, disse a presidente ao petista, que está em Brasília. Antes da ligação, o ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência, Jaques Wagner, esteve com Lula, no hotel Royal Tulip, na capital federal. 

O ex-presidente Lula foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em um procedimento oculto em tramitação no STF (Supremo Tribunal Federal). De acordo com a PGR, Lula atuou “na compra do silêncio” do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, a fim de evitar que ele assinasse acordo de delação premiada com a força-tarefa de investigadores da Operação Lava Jato. Janot também incluiu Lula como investigado no principal inquérito da Operação.

PUBLICIDADE

Janot decidiu também que já há elementos suficientes para pedir a abertura de um inquérito no Supremo contra a presidente Dilma Rousseff por tentativa de obstrução da Lava Jato.