Entrando no time

“Agora faço parte do movimento da mudança com Aécio”, afirma Marina

Em seu pronunciamento ao lado da ex-senadora, o tucano afirmou que nenhum avanço será completo sem a sustentabilidade<span> </span>

SÃO PAULO – Durante o primeiro evento oficial ao lado do candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, Marina Silva, presidenciável do PSB que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, disse que agora faz parte do movimento de mudança junto com Aécio. A ex-senadora agradeceu ao peessedebista pela maneira generosa com que a tratou. A pessebista agradeceu ainda a presença do senador Pedro Simon, do PMDB. 

“Algo maior do que nós só pode ser feito por todos nós. Tem que ter a humildade de entender que algo grandioso não se faz por um grupo, um partido ou uma pessoa”, alfinetou. 

De acordo com Marina, a aliança entre ela e Aécio foi viável por causa do compromisso programático corajoso que o tucano assumiu. Ela falou ainda sobre a importância de economia e ecologia caminharem lado a lado e sobre a institucionalização dos programas sociais. “As políticas públicas não podem ser fulanizadas ou partidarizadas. Honrar o Bolsa Família representa um passo significativo neste sentido”. 

PUBLICIDADE

Durante o pronunciamento, a ex-ministra do Meio Ambiente comparou novamente Aécio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para ela, a carta emitida pelo tucano assinalando os compromissos com o programas sociais e a agenda de sustentabilidade tem o mesmo peso que “a carta ao povo brasileiro” escrita pelo líder petista na eleição de 2002. 

Em seu breve pronunciamento, Aécio também mencionou seu compromisso com a sustentabilidade. “Nenhum avanço será possível sem a sustentabilidade, por isso a nossa parceria”, explicou o tucano se referindo à ex-senadora. Ele defendeu o combate à inflação e a necessidade de retomar o crescimento econômico, por meio da recuperação da credibilidade do Brasil no exterior. 

Ao agradecê-la pelo apoio no segundo turno, o ex-governador de Minas Gerais afirmou que Marina teve um gesto de brasilidade e patriotismo com a atitude. 

O líder do PSDB disse que o desenvolvimento sustentável foi um dos três eixos fundamentais para a alianças entre os dois. O respeito à democracia e o avanço das políticas sociais também foram determinantes para que o acordo fosse estabelecido. “Os programas de transferência de renda não são uma dádiva, nem favor. São direitos e serão mantidos. Esse foco na inclusão social vai prevalecer no nosso programa”. 

Além disso, o tucano falou do amigo, Eduardo Campos, presidenciável do PSB que morreu após um trágico acidente aéreo em agosto, e reforçou que agora representava o candidato da mudança. “Não “sou o candidato de um só partido, mas da transformação”, concluiu o candidato ao Planalto pelo PSDB. 

O encontro entre Marina e Aécio foi gravado pela equipe de campanha do tucano e deve ser exibida no programa eleitoral do peessedebista nesta sexta-feira à noite.