Agora é lei: com rapidez, Bush sanciona plano recém aprovado pelo Congresso

Segundo o presidente dos EUA, pacote irá prevenir que a crise em Wall Street se torne uma crise econômica geral

SÃO PAULO – A percepção da urgência com que o governo tem tratado o plano anti-crise nestes últimos dias fica ainda mais clara com a velocidade com que os acontecimentos se desenvolveram nesta sexta-feira (3). O presidente George W. Bush sancionou o projeto menos de uma hora após sua aprovação pela Casa dos Representantes. A medida agora é lei.

“Ao nos unirmos nesta legislação, nós agimos de forma corajosa para prevenir que a crise em Wall Street se tornasse uma crise nas comunidades ao redor do nosso país”, afirmou o presidente, que assinou a lei permitindo ao Tesouro dos EUA utilizar uma quantia de US$ 700 bilhões na aquisição de ativos podres de instituições financeiras.

Depois da aprovação, o secretário do Tesouro, Henry Paulson, e o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, elogiaram a atuação dos congressistas, afirmando que continuam estudando novas medidas a serem adotadas juntamente com o pacote de resgate.

Aprovação

PUBLICIDADE

A Casa dos Representantes aprovou o pacote no início da tarde desta sexta-feira, com 263 votos a favor e 171 contra, sendo que a maioria das rejeições vieram por parte de congressistas Republicanos, como aconteceu na primeira votação do projeto, na última segunda-feira (29).

Apesar da aprovação, os principais índices do mercado norte-americano mostraram forte volatilidade na sessão, registrando queda ao final do dia. No mesmo sentido, o Ibovespa reverteu a alta apresentada durante toda a manhã, fechando o pregão com perdas.