Oposição

Aécio: Se tivesse um Procon eleitoral, a presidente teria que devolver o mandato

Sobre a derrota em Minas, Aécio disse que pode ter culpa no resultado, afirmando que "talvez tenha tido certa negligência do PSDB"

SÃO PAULO – O senador Aécio Neves (PSDB), que perdeu as eleições para Dilma Rousseff (PT) no último mês, participou nesta quinta-feira (13) de uma entrevista na rádio Jovem Pan e aproveitou para reforçar seu papel como oposição do atual governo. Aécio criticou a postura do atual governo e comentou também sobre o recente caso do projeto de lei para conseguir mudar e atingir a meta fiscal este ano. 

Entre as questões, o senador disse que os brasileiros devem se questionar o por que que o governo falou que o PSDB, caso vencesse iria elevar o preço da gasolina, aumentar os juros e em meno de um mês após as eleições já tomou essas medidas. “O governo não fica nem com a cara rosada de, pouco depois de vencer, já fazer o que dizia que não faria”, disse o tucano.

Aécio criticou a falta de um projeto do governo Dilma, algo que ele já havia questionado a petista durante a campanha eleitoral. “Não há um projeto para o Brasil. Eles [PT] não têm um projeto”, afirmou o senador durante a entrevista. “Esse governo começa parecendo que está no seu final”, completou.

PUBLICIDADE

O senador aproveitou também para criticar o que ele chamou de uso político dos programas do governo. Ele lembrou que carros de som no Brasil inteiro andavam pelas ruas durante a campanha afirmando que quem votasse nele iria perder o Bolsa-Família. “Eles não querem um programa para atender à população, eles querem um programa para chamar de seu e usar politicamente”, disse.

Derrota em Minas
Aécio foi questionado sobre o por que de sua derrota em Minas Gerais, estado que governou e que saiu com mais de 80% de aprovação. Ele disse que pode ter culpa no resultado, afirmando que “talvez tenha tido certa negligência do PSDB”. Por outro lado, ele destacou que o estado é o segundo com maior número de Bolsas-Família, o que pesa para o partido contra o atual governo.

“Quando deixamos o estado tivemos uma ótima aprovação. Gostaria de ter tido um resultado melhor, mas acho que mais do que ficar lamentando temos que agir para recuperar nosso espaço em Minas Gerais”, disse o senador. “Tenho uma visão diferente do PT, que quer dividir o País. Meu papel é da união”, completou.

Meta fiscal
Por fim, Aécio também comentou sobre o projeto de lei enviado pelo governo para tentar “driblar” o resultado fiscal e atingir a meta. “Essa é uma confissão de culpa que o Brasil nunca viu na sua história”, disse o senador. “Que autoridade tem esse governo agora para cobrar os estados e municípios para cumprir suas responsabilidades fiscais?”, continuou.

“Quando eu mostrava que a economia não estava bem, a presidente e o ministro da Fazenda [Guido Mantega] diziam que estava tudo bem. Se tivesse um Procon eleitoral, a presidente teria que devolver o mandato”, completou o tucano.